Vida e Saúde

Veja como driblar os riscos dos alimentos contaminados por ratos

Atualizado em: 20/09/2013

coca-cola-rato

Não são raras as notícias de alimentos contaminados com bichos, produtos de limpeza, entre outros. Recentemente, Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) suspendeu a venda de um lote de ketchup marca Heinz por estar com pelos de ratos. De acordo com o biomédico Roberto Martins Figueiredo, conhecido como Dr. Bactéria, é possível tomar alguns cuidados para diminuir o risco de ter problemas de saúde.

— Quando um alimento industrializado conter no interior de sua embalagem algo estranho, o melhor é evitar seu consumo e procurar um médico ou agente sanitário.

De acordo com o especialista, o lado de fora das embalagens também pode representar riscos. Ao chegar do supermercado com as compras, é prudente lavar as embalagens de alimentos antes de guardar nos armários, principalmente latas de bebidas, especialmente refrigerantes e cervejas.

— Assim como outras embalagens, elas podem ter sido contaminadas durante a armazenagem e conter microorganismos maléficos. Todo cuidado é pouco, pois muita gente leva as latinhas diretamente à boca.

Além de água e sabão, as embalagens devem ser higienizadas com uma solução de água sanitária e água, na proporção de uma colher de sopa de água sanitária para cada litro de água.

Dr. Bactéria ainda explica que 55 doenças podem ser transmitidas por ratos para seres humanos. As mais comuns são leptospirose, tifo, salmonelose, hantavirose e a febra da mordida do rato, ou febre da mordedura do rato.

Segundo ele, a transmissão não se dá somente pela mordida dos roedores, mas pela ingestão de alimentos contaminados com a saliva desses animais. O agente causador dessa doença é a bactéria streptobacillus moniliformis, encontrada na cavidade oral e na garganta de ratos.

Já a leptospirose é uma infecção provocada por uma bactéria presente na urina dos ratos, que causa febre, dores e hemorragias. No Brasil a doença infecta milhares de pessoas todo ano e é um dos maiores riscos decorrentes de enchentes.

R7

Vida e Saúde