Vida e Saúde

Veja alguns truques para driblar a TPM

Atualizado em: 06/09/2012

Frustrated Woman

Alguém chega com uma caixa de bombons por perto e uma lágrima quase escorre do seu rosto. Hoje de manhã, você, sempre tão controlada, xingou um estranho no trânsito depois de ter experimentado três calças diferentes – nenhuma delas fechava direito na cintura, que raiva! Cólicas chatas, ataques de loucura e mais vontade de comer doce que o normal – a TPM pode ser um inferno para 85% de todas as mulheres, que têm ao menos um desses sintomas durante a menstruação. Só 15% procuram tratamento quando apresentam apenas queixas físicas. Já quando a TPM abala o emocional, o percentual de mulheres na porta do médico sobe para 42. Mesmo assim, muita gente continua sofrendo calada. Bobagem! Há uma forma fácil de resolver o mal causado por cada um dos sintomas.

Refém do banheiro

O problema – Se não bastasse ter de trocar de absorvente várias vezes por dia, muitas mulheres sentem o intestino trabalhar mais durante a menstruação. Culpa da prostaglandina, ácido responsável pela contração uterina, que causa as cólicas e é o culpado do stress digestivo. "Ele tem o mesmo efeito de contração no intestino e no útero", diz Mary Minkin, professora da Universidade de Medicina de Yale, nos EUA.

A solução – Evite frituras e comidas gordurosas (elas ajudam a soltar o intestino) e dê preferência a uma alimentação rica em proteínas e com menos carboidratos. Já se seu organismo reage da forma contrária e você fica constipada, inclua alimentos fibrosos, como granola, aveia e feijão, no cardápio.

Licença para ter chiliques

O problema – Em um minuto você está pulando de alegria, mas no seguinte já está gritando com o namorado por ele ter chegado um pouco atrasado para o date. Não, a culpa não é sua, e sim da variação hormonal nos primeiros dias do fluxo. Ela afeta a química cerebral, causando esse pingue-pongue emocional que reveza felicidade, depressão e raiva

A solução – Alimente-se de mais produtos com laticínios nas refeições – três ou quatro porções de leite, queijo ou iogurte todos os dias são ideais. Uma pesquisa publicada na revista Archives of Internal Medicine sugere que o nível de cálcio e vitamina D no sangue diminui logo antes da menstruação, então acredita-se que a reposição deles ajude com o sintoma.

Coma mais, inche menos

O problema – Antes da menstruação, você respira fundo na hora de abotoar seu jeans favorito. "Os responsáveis pelo inchaço são o estrogênio e a progesterona, que desencadeiam alterações nos níveis de cálcio e vitamina", afirma a ginecologista Karina Zulli, do Hospital e Maternidade São Luiz, em São Paulo.

A solução – Para combater esse efeito, consuma mais potássio, encontrado em banana, abacate, folhas escuras e carnes magras. E beba bastante água! Quanto mais xixi você fizer, mais fácil será manter uma boa quantidade de líquidos no corpo. Por último, não fique tentada a matar aquela aula de power jump na academia: exercício físico melhora o metabolismo, o que contribui para a redução do inchaço.

Silêncio, por favor

O problema – De uma dorzinha lateral até aquela bem intensa, conhecida como enxaqueca menstrual (acompanhada de enjoo e sensibilidade à luz). Tem dias que você acorda com a sensação de ter uma bigorna na cabeça, como nos desenhos animados. A notícia boa: ela pode ser facilmente tratada.

A solução – Ao primeiro sinal de dor, tome um anti-inflamatório ou analgésico e aumente as doses de cafeína durante a menstruação. "A substância ajuda o sangue a absorver o remédio e a constringir as veias. É por isso que muitos analgésicos contêm cafeína na fórmula", diz a ginecologista Adriana Orcesi Pedro, da Unicamp. Também evite alimentos que pioram a dor de cabeça, como queijos, chocolate ou vinho.

Não me toque

O problema – A sensibilidade nos seios é um mistério até para os ginecologistas, mas há uma teoria que sobressai: os líquidos a mais que você retém nessa época do mês estimulam um hormônio chamado prolactina, o que, em alguns casos, pode causar sensibilidade ao toque e ao movimento.

A solução – O truque para resolver o desconforto é reduzir a quantidade de líquidos no seu corpo – assim, menos prolactina será produzida. Para isso, evite a ingestão de comidas salgadas e álcool. Mas, se até descer escadas causa dor e incômodo nessa fase, apele para um top reforçado ou sutiã esportivo durante o dia. O decote da sua blusa não vai ficar tão bonito, mas seu corpo vai agradecer.

Vida de adolescente

O problema – Você não está apaixonada pelo Justin Bieber, mas as espinhas deixam sua pele igual à da sua prima de 16 anos. "As mudanças no nível de testosterona dizem para o corpo produzir mais oleosidade na pele e até aumentam os pelos. Os níveis de cortisol também se alteram, o que favorece o surgimento da acne", diz a dermatologista Carla Vidal, de São Paulo.

A solução – Se ainda não é adepta, talvez seja a hora de apelar para a pílula. "Ela estabiliza essas alterações e diminui os níveis de testosterona", explica Carla. Também é bom consultar o dermatologista para um tratamento com sabonetes e secativos que tenham como princípio ativo triclosan, ácido acetilsalicílico ou enxofre e protetor solar com solução oil free..

Chega de canseira

O problema – Parte da fadiga tem a ver com o aumento nos níveis de estrogênio e progesterona. Dormir fica mais difícil – e não é à toa que você parece um panda por uns três ou quatro dias. "Algumas mulheres ainda sentem o rendimento no trabalho diminuir e uma preguiça maior na academia", diz Adriana.

A solução – Por mais estranho que pareça, movimente-se o máximo possível: troque o elevador pela escada e estacione o carro um pouco mais longe do seu destino para forçar uma caminhada. Qualquer exercício que acelere o coração ajuda a recarregar as baterias. Só não vale buscar energia em doces ou café: a sensação de prazer é imediata, mas logo depois o sangue cheio de açúcar faz você ficar ainda mais mole.

Nova

Vida e Saúde