Vida e Saúde

Terapia de relaxamento reduz sintomas da menopausa pela metade

Atualizado em: 03/12/2012

endometriose-a-doenca-da-mulher-moderna-60-854

Mulheres que se submeteram a terapia de grupo, aprendendo a relaxar, reduziram os sintomas da menopausa pela metade. Os resultados são de estudo realizado na Linköping University , em Linköping (Suécia).

Resultado da tese de doutorado de Elizabeth Nedstrand, da Linkoping University, o estudo trabalhou com um grupo de mulheres aleatoriamente designadas a três tratamentos diferentes, paralelamente ao uso do estrogênio: acupuntura, exercícios e relaxamento com o uso de um método baseado na terapia cognitiva comportamental desenvolvida pelo psicólogo Lars-Göran Ost.

O sucesso dos resultados levou a um estudo maior que, a partir de 2007, trabalhou com um grupo de 60 mulheres que procuraram seus médicos com sintomas moderados a graves da menopausa, com ciclos de até 50 vezes por semana. Elas foram divididas aleatoriamente em dois grupos: um de dez sessões de terapia de grupo e o outro que passou apenas por um controle, sem receber tratamento algum.

Segundo Nedstrand, o objetivo da terapia é ensinar às mulheres a encontrarem os grupos musculares de seus corpos, aprendendo a relaxar com a ajuda de técnicas de respiração. Os participantes receberam exercícios para praticar diariamente em casa. Durante o período de intervenção e, por três meses seguintes, as mulheres mantiveram um diário de suas ondas de calor. Elas também tiveram que preencher um questionário de qualidade de vida em três ocasiões, além de apresentar uma amostra de saliva para análise de cortisol, o hormônio do estresse.

As mulheres que participaram do grupo de tratamento reduziram os índices de ondas de calor diárias de 9.1 para 4.4, sendo que o efeito manteve-se durante três meses após a última sessão de terapia. Elas também relataram melhora da qualidade de vida como memória, concentração, sono e ansiedade. Por outro lado, não foram observadas diferenças estatisticamente significativas na secreção do hormônio do stress.

" O estudo confirma que o relaxamento aplicado pode ajudar as mulheres com os problemas da menopausa. Minha esperança é que este tratamento possa ser oferecido às mulheres pelos centros de atendimentos primários e prestadores privados de cuidados de saúde," completa.

Os resultados estão publicados no jornal Menopause

A menopausa
Sete em cada 10 mulheres sofrem com a chegada da menopausa com sintomas como calor, insônia, baixa na libido, depressão, irritabilidade. Para uma em cada dez mulheres, estes problemas duram cinco anos ou mais, principalmente com relação à insônia. A ciência ainda não identificou o que está por trás destes sintomas. O que se sabe é que as quantidades decrescentes de hormônios femininos (estrogênio) afeta o centro responsável pela regulação de calor no hipotálamo.

Com base neste conhecimento, a terapia de reposição de estrogênio foi largamente utilizada. De acordo com os responsáveis por este estudo, os médicos suecos chegaram a receitar a terapia, no final dos anos 90, para cerca de 40% das mulheres com sintomas moderados a graves de menopausa. Com o tempo, foi observada uma relação direta deste tratamento com o aumentou do risco de câncer da mama e de doença cardiovascular, o que levou à busca de terapias alternativas.

ISaúde

Vida e Saúde