Vida e Saúde

Soro fisiológico limpa, hidrata e ajuda a evitar problemas no nariz

Atualizado em: 22/08/2013

soro

 O nariz é a porta de entrada do ar que respiramos e é responsável pela defesa das vias respiratórias. Ou seja, se não funciona bem, a pessoa pode sofrer infecção por vírus ou bactérias, o que causa problemas como sinusite, otite, amigdalite e até pneumonia. Por isso, é importante tomar alguns cuidados e proteger bem a saúde nasal, como recomendaram a pediatra Ana Escobar e a otorrinolaringologista Francini Pádua no Bem Estar desta quinta-feira (22).

O idela é hidratar o nariz constantemente para evitar que ele resseque – a melhor maneira de fazer isso e mantê-lo sempre limpo, utilizando o soro fisiológico, que não tem efeito colateral e é muito eficaz. Segundo as médicas, o soro ajuda não só na limpeza e hidratação do nariz, mas também na prevenção de resfriados, gripes, crises de rinite e até mesmo sangramentos.

Nos bebês, alguns médicos indicam a bombinha de sucção nasal, mas o soro também pode ser usado. No entanto, existem diferentes tipos de soro – em spray, spray contínuo, conta-gotas, seringa ou flaconetes – todos funcionam muito bem. Para quem quer fazer o soro em casa, a pediatra Ana Escobar mostrou que meio copo de água e uma colher de sal já são suficientes para preparar a substância e, com um conta-gotas, é só aplicar no nariz.

A otorrinolaringologista Francini Pádua lembrou, porém, que ao aplicar o produto, nunca é bom colocar a ponta do aplicador na direção central do nariz e sim para fora, para que não ocorra problemas como sangramentos, por exemplo.

Um dos problemas mais comuns é o nariz entupido – nas crianças, geralmente isso acontece por um aumento da adenoide, tecidos que crescem internamente, ou por causa da rinite alérgica, desencadeada por fatores como ar seco, poluição, perfumes fortes e mudanças de temperatura, por exemplo.

Já nos adultos, o nariz tampado pode ser por conta de um desvio de septo, sinusite ou também pela rinite. Porém, como mostrou a reportagem do Phelipe Siani, ao sentir um incômodo no nariz, a maioria das pessoas costuma cutucá-lo e, de acordo com as médicas, isso não é recomendado (veja no vídeo acima).

Em relação ao sangramento, ele ocorre porque o nariz é uma região muito vascularizada e, com o tempo seco, vento gelado ou poluição, por exemplo, esses vasos sofrem e podem sangrar, principalmente na ponta. Na maioria das vezes, o problema desaparece rapidamente e o paciente não tem complicações; porém, existem casos mais graves, especialmente aqueles que o nariz sangra mais para a parte de cima, onde os vasos são mais grossos – nesses casos, o paciente pode até que fazer uma cirurgia.

Entre as causas do sangramento, estão situações simples, como um resfriado ou gripe, ou até mesmo problemas maiores, como tumores nasais. Nesses casos mais leves e mais comuns, tomar algumas atitudes já é suficiente para resolver, mas muitas pessoas acabam fazendo errado. Jogar a cabeça para trás ou deitar, por exemplo, pode fazer o paciente engolir o sangue e piorar o quadro e, por isso, não é a melhor opção.

O correto é apertar as narinas dos dois lados e esperar de 1 a 3 minutos, tempo de coagulação. Outra medida é fazer um rolinho com papel e colocar dentro do nariz para estancar o sangue. Segundo a pediatra Ana Escobar, outra coisa que pode ajudar é fazer uma compressa de gelo, chupar gelo ou tomar algo gelado para resfriar o local e levar à vasoconstrição. Se nada disso funcionar, é importante procurar um médico imediatamente, como fizeram os pacientes do laboratório de rinologia, mostrado na reportagem do Phelipe Siani.

Bem Estar

Vida e Saúde