Vida e Saúde

Semana Santa: Bacalhau é fonte de vitaminas e minerais

Atualizado em: 24/03/2016

Almoço Páscoa PA 2

Com baixo nível de colesterol e rico em ferro, magnésio e fósforo, o bacalhau é um dos alimentos mais consumidos durante a quaresma e a Semana Santa. Por motivos religiosos, muitas pessoas deixam de ingerir a carne vermelha nesse período e aumentam o consumo de peixes, que, de acordo com especialistas, são mais saudáveis e importantes fontes de proteínas de alto valor biológico.

O bacalhau é um dos mais procurados nessa época do ano e tornou-se tradição na culinária brasileira, com opções de pratos que agradam a todos os paladares. Além das inúmeras possibilidades de receitas, este peixe possui benefícios para a saúde da população, tendo em vista o seu alto valor nutritivo e a presença de vitaminas A, E e D, fundamentais para o organismo.

De acordo com a nutricionista do Hapvida Saúde, Paula Viana, o consumo do bacalhau pode auxiliar no controle de doenças e regular o nível de colesterol. “Esse alimento contém gorduras saudáveis, como o ômega-3 e ômega-6, nutrientes importantes para diminuir o LDL (colesterol ruim) e triglicerídeos, e aumentar o HDL (colesterol bom). Além disso, é importante na prevenção e controle de problemas cardiovasculares, câncer, doenças inflamatórias e autoimunes”, explica.

No entanto, é preciso ter atenção durante o preparo do peixe para que ele permaneça saudável. A nutricionista afirma que o bacalhau deve ser consumido assado no forno, cozido ou grelhado para preservar os seus nutrientes. “Porém, apesar de todos os benefícios, a ingestão de bacalhau deve ser moderada pelas pessoas que possuem hipertensão arterial, pois o peixe é rico em sódio e, por causa disso, o processo de dessalga precisa ser feito com cautela”, orienta.

Mesmo o bacalhau sendo um dos alimentos mais vendidos na Semana Santa, Paula Viana explica que os peixes, de um modo geral, possuem propriedades nutricionais semelhantes e podem ser substituídos. “Para não enjoar, devemos variar os modos de preparo e os tipos de peixe. Dessa forma, temos outras opções saudáveis e que cabem no bolso do consumidor, como o arenque, a sardinha, o salmão, o atum e o linguado”, afirma.

Por causa dos seus benefícios nutricionais, a especialista explica que o consumo dos peixes precisa fazer parte dos hábitos alimentares das famílias. A ingestão não deve ficar restrita a esse período do ano, tendo em vista os benefícios que o alimento traz à saúde, sobretudo quando é consumido da forma correta.

MAIS CONSUMIDO NA PÁSCOA – Incorporado aos hábitos e à culinária portuguesa, pelo menos, desde o século XIV, o bacalhau chegou às terras brasileiras no século XVI e logo conquistou seu espaço por aqui. Durável e acessível a uma parte da população, que raramente podia comprar peixe fresco, seu sabor era mais agradável do que o de outros pescados salgados.

Hoje o Brasil é o maior consumidor de bacalhau salgado do mundo e o GPA (responsável pelas bandeiras Assaí, Extra e Pão de Açúcar na Paraíba) é o maior importador do país. Para esta Páscoa, as redes oferecem uma variedade de produtos, como o legitimo Porto Imperial (Gadus morhua), Filé e Lascas de Porto (Gadus macrocephalus), além dos tipos Ling, Saithe e Pollack em lascas.

Da Noruega e Portugal chegam produtos já cortados e embalados em bandejas, como os das marcas Mathias e Riberalves.

Vida e Saúde