Vida e Saúde

Saúde das crianças exige mais atenção no Carnaval

Atualizado em: 05/02/2016

Crianças_carnaval

O período de Carnaval é de festas para todas as idades. Sejam idosos, adultos ou crianças, o clima em todo o país é de diversão e brincadeiras. Os blocos infantis e adultos são responsáveis pela animação nas prévias carnavalescas e também durantes os dias do feriado. No entanto, apesar de ser uma época descontraída, esse período do ano, que coincide com as altas temperaturas do verão, exige um cuidado maior com a saúde, sobretudo das crianças.

De acordo com a nutricionista da Prime’s Cool, Danielly Travassos, é preciso ficar atento com a ingestão de líquidos, devido à coincidência com o verão. “Por ser um momento de muita agitação e calor, a hidratação deve ser bem intensa. É importante oferecer bastante líquido, como água, água de coco e suco de frutas. Já em relação à alimentação, deve-se evitar comidas gordurosas, chocolates e embutidos. Para levar à folia, dar preferência para lanches que não precisem de refrigeração e que tenham pouco sal em seu preparo, evitando comprar alimentos vendidos na rua, por não saber a procedência”, explica.

Porém, não é só com alimentação e hidratação que os pais precisam ter cuidado durante as festas. A pediatra do Hapvida Saúde, Claudia Suenia, afirma que é recomendado conferir a composição química das espumas, por exemplo, para analisar se há álcool ou tóxicos, evitando, assim, alergias e ardências na pele e nos olhos.

A especialista esclarece que as roupas e os sapatos das crianças também precisam ser escolhidos com cautela para prevenir incômodos e evitar problemas na pele. “Dê preferência aos tênis que não apertem os pés e sapatilhas, pois dão mais segurança e evitam o risco de quedas. Prefira roupas ou fantasias leves e confortáveis para garantir a liberdade de movimentos e a transpiração adequadas, evitando brotoejas e irritações na pele”, explica.

E se o bloco for sair durante o dia, os pais não podem esquecer o protetor solar. Segundo a farmacêutica da Natura, Joana Miranda, as crianças necessitam de produtos específicos devido à sensibilidade da pele. O ideal é procurar os que têm denominações de uso infantil ou kids. ”Evidências mostram que uma única exposição solar intensa, que resulte em bolhas, na infância, pode dobrar os riscos do aparecimento de melanoma na idade adulta. Recomenda-se a aplicação de protetores solares a partir do 6º mês de vida, e até os 2 anos deve-se utilizar produtos que priorizem filtros físicos ou também chamados de inorgânicos, como os da linha Fotoequilíbrio Bebê”, orienta.

Além disso, a pediatra Cláudia Suenia afirma que não é aconselhável levar bebês para os blocos, pois eles podem se excitar excessivamente e ter consequências como insônia ou irritabilidade, além de serem mais suscetíveis a doenças. “Recomenda-se a idade a partir dos 12 meses, pois é a época em que a criança está dando os primeiros passos, consegue interagir e participar das brincadeiras. Outro ponto importante é a identificação da criança, através de uma pulseira ou um papel preso na sua roupa, contendo o seu nome, nome dos pais e telefones para contato”, aconselha.

Fonte: assessoria

Vida e Saúde