Vida e Saúde

Registrados mais de 7 mil casos de dengue este ano na Paraíba

Atualizado em: 25/06/2013

dengue

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) registrou um aumento de 9% no número de notificações de casos de dengue de 1º de janeiro a junho desse ano, se comparado com o mesmo período do ano passado. Até agora, foram notificados 7.471, dos quais 2.570 já confirmados para dengue clássica, 62 casos graves da doença  e 781 descartados. No mesmo período de 2012, foram registradas 6.850 notificações. O maior número de casos notificados ocorreu nos municípios de João Pessoa, Campina Grande, São João do Cariri e Santa de Mangueira.

A gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares, avalia que esse aumento pode ser uma resposta aos trabalhos que vêm sendo realizados para melhorar as notificações dos casos suspeitos em todo o Estado e com isso facilitar as ações de combate e prevenção à doença.

Ainda de acordo com o boletim, o número de municípios silenciosos diminuiu 37,5% em igual período de 2012, resultado de vários trabalhos realizados nestas últimas semanas junto aos municípios das Gerências Regionais de Guarabira, João Pessoa, Itabaiana, Sousa, Princesa Izabel e Campina Grande, que devem ter contribuído para a melhora da oportunidade das notificações. “Notificar os casos suspeitos mostra que o município está atento e vigilante fornecendo informações estratégicas para a organização da assistência, prevenindo assim os possíveis óbitos evitáveis”, destacou Talita Tavares.

Ela recomendou aos municípios que se encontram com classificação de baixo risco para a dengue manter os trabalhos de controle acompanhando também o perfil entomológico de municípios circunvizinhos. Enquanto para os municípios classificados em alto risco e em alerta orientou a necessidades de estratégias intra e intersetoriais para o controle vetorial.

Talita Tavares afirmou que a SES está realizando reuniões sistemáticas com os municípios, com objetivo de apresentar a situação atual, sensibilizá-los para a realização do levantamento do Índice de Infestação para desenvolvimento das ações de controle permanente, com o diálogo com a Vigilância Epidemiológica, Atenção à Saúde e outros órgãos.

Em relação ao carro fumacê o Estado, por meio de portaria, estabeleceu critérios para sua utilização nos territórios. Qualquer município, ao identificar necessidade da sua utilização, deve encaminhar solicitação à Gerência Regional de Saúde, que aguardará avaliação técnica da Gerência Operacional de Vigilância Ambiental/SES para parecer e agendamento. Seguindo esse fluxo, vários municípios, a exemplo de Alagoa Grande, Arara, Conde, Cubati, Sousa, João Pessoa, Pitimbu, Cuité, já realizaram utilizaram o carro fumacê.

Talita Tavares disse também que atualmente 54% dos municípios paraibanos (122) realizaram o Levantamento de Índice Rápido, metodologia que permite o diagnóstico rápido da situação entomológica de um território, com o objetivo de direcionar as ações de controle do vetor. “O Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRAa) informa o diagnóstico atualizado, sendo a ferramenta indicada para nortear as ações de campo”, explicou.

Ela chamou atenção para o curso online de atualização sobre dengue, que continua disponível no site: http://www.unasus.gov.br/dengue. “Este curso é resultado de uma parceria entre o Ministério da Saúde e a Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS). Qualquer profissional pode se matricular e o MS emite o certificado”, finalizou Talita Tavares.

Assessoria

Vida e Saúde