Vida e Saúde

Quais são as atitudes mais brochantes para homens e mulheres

Atualizado em: 10/09/2012

beijo

 Ele passou o dia todo estressado no trabalho. Cansado, entra em casa pensando apenas em tomar um banho e descansar, mas, ao entrar no quarto, a mulher está lá, montada em cima da cama e fazendo caras e bocas com uma fantasia que ele sempre achou bizarra. Além de engraçada, a história é possível. É normal termos a melhor das intenções e, no fim, acabarmos desestimulando o parceiro na hora do sexo. As mulheres também costumam encarar situações ainda piores: homem usando cueca velha -frouxa, sem elástico e cheia de bolinhas- com mau hálito, transando de meia… Além das conhecidas atitudes brochantes, quais são as maiores queixas de homens e mulheres em relação aio parceiro na hora do sexo?

Segundo o psicólogo especialista em sexualidade Paulo Geraldo Tessarioli, membro da SBRASH (Sociedade Brasileira de Estudos em Sexualidade Humana), as reclamações femininas não são tão objetivas quanto as masculinas. “Atribui-se ao parceiro, muitas vezes, a falta de desejo, de excitação, de chegar ao orgasmo”, diz. Já os homens, esperam que as mulheres gostem de sexo e faça não para agradá-los, mas porque estão com vontade. Essa “passividade” de transar apenas se o parceiro desejar incomoda e desestimula os parceiros, segundo Tessarioli.

Para evitar que você não cometa erros que podem por fim ao clima, especialistas falam quais são as atitudes mais brochantes para homens e mulheres.

O que broxa os homens

– Papo chato: falar do “ex”, das contas a pagar, do estresse no trabalho, discutir a relação e outras cobranças brocham o parceiro na hora. A cama não é o melhor lugar para a DR. “Os homens perdem o pique quando a mulher quer falar do relacionamento ou resolver problemas. Isso é ruim não só na hora do sexo, como depois”, diz a psicóloga e terapeuta sexual Regiane Garcia Rodrigues.

– Escândalo pornô: não adianta reproduzir em casa tudo aquilo que você viu no filme pornô achando que o parceiro irá se excitar. “Gritos absurdos como os das atrizes dos filmes pode assustar e brochar os homens”, diz a sensual coach Fátima Moura, autora de “Sexo, Amor e Sedução” (Ed. Harbra).

– Calcinha bege: o clássico realmente brocha os homens, segundo Fátima. E mais: alguns ainda reclamam quando a mulher não está combinando calcinha e sutiã.

– Pelos: a mulher que não está devidamente depilada tende a brochar os homens na hora do sexo oral, segundo a sensual coach Fátima Moura.

– Mulher "drag queen": ir para a cama com cílios postiços, aplique no cabelo, bojo, enchimento e, no dia seguinte, acordar com uma mancha nos olhos como a de um urso e parecendo outra pessoa não é legal. Exagerar na produção pode ser ruim. “Tem que ser sedutora, mas com equilíbrio. Não adianta usar um espartilho lindo e depois não conseguir se mexer”, diz Fátima.

– Despir-se rápido demais: o homem foi ao banheiro e, quando voltou, você já estava sem roupa? Isso mais assusta do que excita, segundo a sensual coach. O ideal é aproveitar o momento de tirar a roupa para seduzir, como fazer um striptease, por exemplo.

– Perfeitinha: a mulher que quer fazer tudo muito perfeito na primeira vez do casal e escolhe o ambiente, uma lingerie linda, espalha flores pela casa e, no fim, não consegue ser natural pode acabar com o clima. “Produza-se para você se achar bonita, e não para tentar impressionar o homem. Na dúvida, opte para o menos”, diz Fátima Moura.

– Não saber usar produtos eróticos: não adianta ter um arsenal de sex shop se você não sabe como nem quando usar, diz Regiane Rodrigues. “Não adianta comprar o produto, lembrar na hora que está transando e parar tudo para procurar. Ter estratégia é importante”, diz ela. Segundo Regiane, as mulheres conseguem entrar e sair das situações com maior facilidade, por isso, para elas pode ser normal começar o sexo e, de repente, parar, falar ou procurar algo e depois voltar como se nada tivesse acontecido. Já os homens não podem ser desconcentrados. É uma coisa de cada vez.

– Salada de frutas: tentar ser sensual deixando o parceiro melecado com alimentos pode desanimá-lo, segundo Fátima. “Evite usar excesso de produtos, principalmente de alimentos. Os homens quererem morrer”, diz ela.

O que brocha as mulheres

– Inspiração pornô: não adianta usar a mesma violência que os atores pornôs na hora de pegar a mulher, principalmente se for na hora do sexo anal. “Os homens esquecem que no filme há cortes. É impossível agir sem delicadeza nesse tipo de relação. Isso assusta qualquer mulher”, diz Fátima Moura.

– Falta de educação: a intimidade pode ser um problema na hora do sexo. “Homem ‘delicado’, que solta pum ou arrota na cama brocha qualquer uma”, diz Fátima.

– Homem máquina: aquele homem que pensa que para excitar a mulher basta tocar em alguns pontos não só não desestimula a parceira como pode fazê-la brochar por um bom tempo. “Ir direto tocando os seios e a vagina como se fosse algo mecânico, como se fosse só apertar um botão, não agrada”, diz Fátima.

– Homem polvo: tocar e pegar a mulher rapidamente, sem saber o que está fazendo e sem observar se isso agrada a mulher também é brochante.

– Largado: cueca velha, falta de higiene ou ter as mãos muito ásperas podem brochar as mulheres, segundo Fátima. “Homem ter que ter um cheiro legal, usar uma cueca bonitinha e, se tiver as mãos ásperas a ponto de machucar a mulher, passar um hidratante”, diz ela. Barba mal aparada também pode ser um problema quando arranha as mulheres, segundo ela.

– O que acha que todas são iguais: aprender com uma mulher um jeito bacana de conduzir o sexo e aplicá-lo com todas as outras não funciona. “O homem precisa ter equilíbrio, não ser muito molenga e nem muito grosseiro. E cada mulher deve ser tratada de maneira única. Não dá para tratar todas iguais. Uma gosta de algo mais sado, outras de romance”, diz Fátima Moura. Às vezes uma mesma mulher deseja coisas diferentes num mesmo dia. É preciso ter atenção para não brochar a parceira.

– The Flash: tirar a lingerie muito rapidamente pode desanimar a mulher. Principalmente se ela pagou caro pela peça pensando em agradá-lo. Para Fátima, elogiar e caprichar nas preliminares é mais efetivo.

– Fantasia surpresa: se não tiver bom senso e, principalmente, a certeza de que a mulher tem vontade de vê-lo vestido com uma fantasia, não ouse. “Não é porque elas vão ao Clube das Mulheres que querem ver o namorado do mesmo jeito. Fantasiar-se de cowboy para fazer uma surpresa é um risco de ficar ridículo”, diz Fátima.

– Sem tato: homem que não sabe seduzir a parceira e age de modo prático, pensando apenas nele, desanima qualquer uma. “Para o homem, toda hora é hora de sexo. É preciso ter a sensibilidade para saber o momento da mulher para não desestimulá-la”, diz Regiane Rodrigues.
Brochante para todos

– Falta de higiene: esqueça as cenas de filmes e novelas em que as mulheres pulam no pescoço dos homens logo depois que ele chegou de malhar e está suado. O que ela realmente quer é um parceiro cheiroso. E, claro, os homens também. “Isso dá uma travada legal, principalmente se for para fazer sexo oral. A higiene é fundamental”, diz Fátima Moura. O mau hálito também brocha qualquer um. “Se for sair para jantar com o parceiro, coma algo mais leve, e não algo com um tempero que fica horas na boca”, diz ela.

– Mau humor: ficar de cara fechada e sem abrir a boca no sexo é desestimulante. “O sexo deve ser feito com leveza e bom humor, ou não dá muito certo”, diz o terapeuta Sergio Savian, autor do livro virtual “Manual do Êxtase Sexual”.

– Bêbado: tentar transar alcoolizado é um problema. É possível que, no mínimo, você durma no meio do sexo. “Um pouco de bebida pode até relaxar, mas, em grandes quantidades, afeta a potencia sexual”, diz Savian.

– Crítico: a pessoa que vai para a cama para avaliar o corpo do outro e a performance. “É horrível estar com alguém assim, que só falta te dar uma nota”, diz a especialista em relacionamentos Nelma Penteado, autora de “Massagem Sensual como Você Nunca Viu” (ed. Matrix).

– Autoritário: pessoas preocupadas apenas com o próprio prazer acabam com o sexo, segundo Nelma. Aquelas que ditam regras e exigem que tudo seja feito apenas do jeito que ela quer não divertem ninguém –e nem se divertem.

– Apático: o parceiro está ali, subindo no lustre e fazendo mil malabarismos para agradá-lo, mas o apático continua sem nem esboçar um sorriso ou gemido. “A pessoa que apenas olha e não emite sons ou tem qualquer expressão é frustrante”, diz Nelma. Pessoas que não abrem a boca e nem ao menos soltam um gemido deixam o outro na dúvida se está agradando ou não e podem desestimulá-lo.

– Workaholic: levar o trabalho para a cama é brochante. “Esse tipo de pessoa fala sobre o tema até cinco minutos antes do sexo e, depois que termina, continua o assunto”, diz Nelma.

– Questionador: é aquele que critica quando o parceiro tenta algo novo, seja uma roupa, atitude ou lugar. “Em vez de elogiar, essa pessoa pergunta o tempo todo ‘o que é isso? Não precisamos disso’, o que acaba com a animação do outro”, diz . Para Savian, sexo bom é aquele com elogios, e não críticas.

– Olhar perdido: observar tudo ao redor, menos a pessoa com quem se está fazendo sexo não é legal. “Parece mentira, mas algumas pessoas olham o teto, a TV, seja o que for, menos os olhos da pessoa amada”, diz Nelma.

– Falante: pessoas que aproveitam a hora do sexo para contar sobre antigas performances, tanto o que fizeram como o que receberam de outros parceiros acabam com a confiança do outro e broxam qualquer um. Pior, impossível.

Uol

Vida e Saúde