Vida e Saúde

Pré-natal odontológico pode evitar partos prematuros

Atualizado em: 29/11/2014

PRE_NATAL_ODONTOLOGICO

Enganam-se as futuras mães que acham que o período da gravidez não deve estar associado ao tratamento odontológico. O acompanhamento do dentista é fundamental para manter uma boca saudável em qualquer período da vida, mas na gestação, em especial, as mulheres precisam ter um cuidado redobrado, pois nesta fase estão mais propícias ao surgimento de doenças bucais que são consideradas um fator de risco ao desenvolvimento da criança. Além de se preocuparem com a alimentação e as visitas periódicas ao médico, é preciso incluir no calendário de cuidados o pré-natal odontológico, que contribui para a saúde geral da gestante e do bebê.

A mudança na rotina alimentar e as alterações hormonais típicas desta fase podem ocasionar o aparecimento da cárie ou elevar a incidência de gengivite nas mulheres grávidas. Estes são alguns exemplos de doenças bucais que não devem ser ignoradas na gestação, como explica a especialista do Atelier do Sorriso São Rafael, Anna Karyna Galvão. Segundo ela, o pré-natal odontológico irá verificar a presença de focos infecciosos, alterações gengivais, entre outras alterações na cavidade oral que podem causar problemas durante a gravidez se não receberem os cuidados específicos. “Nós conseguimos diminuir o risco de um parto prematuro e do bebê nascer com baixo peso quando identificamos e tratamos estas doenças bucais”, afirmou.

De acordo com a especialista, são recomendadas cerca de quatro consultas especiais neste período, que serão estrategicamente programadas com o odontopediatra. Além de prevenir e tratar doenças bucais, o pré-natal odontológico também tem o objetivo de educar a paciente. “Nosso papel é vencer alguns mitos comuns entre as grávidas e orientá-las além do ponto de vista clínico odontológico. Elas irão aprender como realizar o controle da placa bacteriana e quais hábitos deverão adotar para não prejudicar a formação dos dentes do bebê, por exemplo”, explicou Anna Karyna Galvão.

Além disso, o tratamento do pré-natal odontológico também irá influenciar na saúde da criança após seu nascimento, pois nos primeiros meses de vida há o risco de contaminação de mãe para filho. “Quando os cuidados não acontecem durante a gravidez, as bactérias da cárie presentes na boca da mãe podem ser transmitidas facilmente por meio da saliva”, completou a especialista.

Fonte: Integrativa

Vida e Saúde