Vida e Saúde

PB: Ação para conscientizar crianças sobre a dengue

Atualizado em: 21/09/2012

juntos

Está sendo desenvolvido pela Secretaria de Saúde da Paraíba o projeto ‘Campanha de Combate à Dengue’, que contempla alunos matriculados no ensino Fundamental II das escolas públicas estaduais com um trabalho de educação voltado para conscientização sobre como evitar a proliferação do mosquito transmissor da doença.

Atualmente, o Fundamental II tem matriculadas 103.803 crianças que serão transformadas em multiplicadoras, junto às suas famílias e à comunidade onde vivem, das informações que terão no projeto educacional.

O trabalho com as crianças começou no último trimestre do ano passado e já chegou a municípios do Brejo e Sertão, entre eles Água Branca, São Sebastião do Umbuzeiro, Zabelê, Aparecida, Marizópolis.

O Setor de Vigilância em Saúde da SES informa que a estratégia de utilizar crianças nesse trabalho se justifica pelo poder de convencimento que elas têm. O que aprendem na escola levam para casa e cobram bons hábitos e costumes dos pais, dos vizinhos  e dos colegas. Isso é muito útil no combate aos criadouros do vetor da dengue.

Para a Secretaria de Saúde, o trabalho desenvolvido junto às crianças também é fundamental porque as coloca desde cedo em contato com uma lógica importante no combate à dengue: a de que o essencial é ter uma atitude preventiva e responsável.

O material educativo é distribuído principalmente em municípios que apresentam epidemia da dengue, a exemplo de João Pessoa.

Boletim

O último boletim epidemiológico com os casos de dengue no Estado mostram que 14 municípios respondem por mais de 74,3% das notificações. A capital, com 4.159 casos, lidera o ranking, seguida de Cabedelo, com 1.435. Patos tem 473, Bayeux tem 246 e Catolé do Rocha 185 casos. O Estado mantém uma parceria com todos os municípios para combater a doença.

O Estado apresenta 10.407 notificações até o dia 13 de setembro, mas 2.162 já foram descartadas. São 4.827 notificações de dengue clássica, 111 casos de dengue com complicação e 46 casos de febre hemorrágica da dengue.

Quanto aos óbitos, o Estado até o momento confirmou 7 (um em Itabaiana no mês de março, um em Patos no mês de abril, dois em João Pessoa no mês de junho, um em Bayeux e dois em João Pessoa no mês de julho). Destes, quatro tiveram o quadro de febre hemorrágica da dengue (FHD) e três de dengue clássica com complicação (DCC). Três óbitos continuam em investigação, dois em João Pessoa e um no Conde.

Investimento

Estados e municípios têm recursos destinados ao investimento na prevenção das doenças transmissíveis (dengue, coqueluche, meningite e outras) e não transmissíveis (tabagismo, diabetes e outras) com ação planejada e com execução durante todo o ano. Como estabelece portaria 2.557, de 2011, os municípios e estados receberam recursos específicos investir no combate à dengue, seja por meio do controle vetorial (fumacê, veneno e outros) ou ações educativas em parceria com ONGs ou escolas. O Estado recebe repasses quadrimestrais, onde o volume maior financia ações de vigilância ambiental e epidemiológica (contra as doenças de agravos e não transmissíveis).

Material didático

A aquisição da nova versão do material educativo se deu por meio de inexigibilidade de licitação pelo fato da empresa DCL (Difusão Cultural do Livro Ltda.) atender aos objetivos técnicos traçados pela Gerência Executiva de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde e deter exclusividade na edição, publicação, distribuição e comercialização da obra ‘Campanha de Combate à Dengue’, da autora Mayre Barros Custódio Vigna.

De acordo com declaração emitida pela Câmara Brasileira de Letras (CBL), a empresa detém a exclusividade em todo o território nacional, o que atende as exigências da do artigo 25, inciso I, bem como ao artigo 26, parágrafo único inciso III, da Lei Federal 8666/93 quanto à justificativa do preço, uma vez que o mesmo produto apresenta-se com valor de aquisição equivalente a R$ 49,90 no site da editora e a SES adquiriu 100 mil conjuntos do material educativo com valor de R$ 35,00 cada, obtendo um desconto de aproximadamente 30%.

São 100 mil livros paradidáticos, contendo jogos de labirinto, jogos de sete erros, jogos de colorir com quatro modelos; 100 mil cartelas adesivas; 100 mil cartelas quebra-cabeças tipo 1; 100 mil cartelas quebra-cabeças tipo 2; 100 mil jogos de cartas de tabuleiro; 100 mil cartelas de jogo de cartas; 100 mil fichas de visitas; 100 mil bandeiras de identificações e 100 mil caixas-maletas para comportar o material. Além disso, a empresa fornecedora fica responsável pela capacitação dos agentes comunitários e professores que repassarão as informações aos estudantes.

Redação, com assessoria

Vida e Saúde