Paraíba vai duplicar UTIs neonatais que passam a contar com 121 leitos

Variação hormonal faz com que mulheres se iludam com maus pretendentes
18 de maio de 2012
Mulheres nos EUA redescobrem atalho para curvas perfeitas
22 de maio de 2012

Paraíba vai duplicar UTIs neonatais que passam a contar com 121 leitos

A Paraíba vai duplicar o número de UTIs neonatais, que passam a contar com 121 leitos nas maternidades públicas. Atualme

A Paraíba vai duplicar o número de UTIs neonatais, que passam a contar com 121 leitos nas maternidades públicas. Atualmente são 60 leitos cadastrados pelo SUS, conforme o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). Para isso, o Estado vai receber do Ministério da Saúde a importância de aproximadamente R$6 milhões que serão investidos na ampliação e compra de equipamentos.

Os novos leitos estão de acordo com a Portaria Ministerial nº 930 de 10 de maio deste ano. Ela define diretrizes e objetivos para a organização da atenção integral e humanizada ao recém-nascido grave ou potencialmente grave, além dos critérios de classificação e habilitação de leitos de unidade neonatal no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com a coordenadora da Área Técnica da Saúde da Mulher da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Fátima Moraes, os projetos para implantação dos novos leitos já estão sendo elaborados e fazem parte da estruturação da rede obstétrica paraibana. A meta integra o Projeto Rede Cegonha. A previsão da instalação dos leitos é de curto e médio prazos.

De acordo com a portaria, são objetivos da atenção integral ao recém-nascido grave ou potencialmente grave organizar a Atenção à Saúde Neonatal para que garanta acesso, acolhimento e resolutividade; priorizar ações que visem a redução da mortalidade, estímulo ao desenvolvimento e integração familiar; garantir acesso aos diferentes níveis da assistência neonatal; e induzir a formação e qualificação de recursos humanos para a atenção ao recém-nascido.

Ainda segundo a portaria, a Unidade Neonatal é um serviço de internação responsável pelo cuidado integral, dotado de estruturas assistenciais que possuam condições técnicas adequadas à prestação de assistência especializada, incluindo instalações físicas, equipamentos e recursos humanos.  Esse serviço deve articular uma linha de cuidados progressivos, possibilitando a adequação entre a capacidade instalada e a condição clínica do bebê.

As unidades são divididas de acordo com as necessidades do cuidado, nos seguintes termos: Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN) que são serviços hospitalares voltados para o atendimento de recém-nascido grave ou com risco de morte, Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal (UCIN), com duas tipologias: Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Convencional (UCINCo); e Unidade de Cuidado Intermediário Neonatal Canguru (UCINCa).

Secom

Denise Lemos
Diretora Executiva do Portal Mulher de Fato, CEO Up Branding Marketing Digital, CEO Startup 28Dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *