Vida e Saúde

Os cuidados com a pele branca, oriental, morena e negra

Atualizado em: 12/06/2015

mulher3

Envelhecer é um processo que afeta a todos, sem distinção. Porém, alguns fatores genéticos determinam como isso vai se manifestar na aparência. E vamos combinar: sabendo como prevenir e tratar os primeiros sinais fica muito mais fácil vencer esta batalha. Para tanto, conversamos com grandes especialistas no assunto e chegamos aos seguintes pontos-chave: conhecer o tipo de pele, os seus principais problemas e escolher os produtos e o tratamento estético mais indicados para ele. Então, o que está esperando? Use o tempo a seu favor!
Questão de pele

No Brasil, com a mistura de raças, a diversidade impera. A descendência europeia, oriental, africana e indígena se mostra em diferentes tons de pele, como branca, amarela, morena e negra. O que isso tem a ver com o envelhecimento? A melanina (pigmento natural da pele) funciona como uma proteção natural do organismo contra a ação dos raios solares, os grandes vilões do envelhecimento. Assim, quanto mais clara a epiderme, mais propensa ao envelhecimento precoce ela está. Sem contar que a pele negra (rica em melanina) tem fibroblastos, células que conferem elasticidade e força maiores e produzem mais colágeno. Por isso, costuma mostrar os sinais do tempo tardiamente.

Branca, branca, branquinha

É mais sensível à exposição solar, devido a pouca produção de melanina. Assim, está mais propensa ao envelhecimento precoce. Em geral, é menos oleosa que as outras. “Esse detalhe reduz a incidência de acne, mas facilita o surgimento de linhas de expressão”, explica Shirlei Borelli, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Société Français e de Mesothérapie, da American Academy of Dermatology e da International Society For Dermatologic Surgery (SP).

Mais propensa a… manchas, flacidez e pele fina.

Prevenção: usar protetor físico durante exposição solar intensa (chapéu e óculos), ingerir filtro solar oral, evitar sol entre 10h e 15h, passar longe do cigarro e controlar o consumo de bebida alcoólica.

Cosmético-chave: “Durante o dia, protetor solar com FPS alto. À noite, loções contendo vitamina C”, indica Shirlei Borelli.

No consultório: “Para amenizar o afinamento da pele são recomendadas sessões de laser ablativo fracionado, que elimina a derme alterada e auxilia a produzir colágeno”, orienta.

Em casa: uso diário de filtro solar e cremes contendo ativos clareadores, ácidos e estimuladores de colágeno.  costuma mostrar os sinais do tempo tardiamente.

Expresso do oriente

“Este tipo de pele é rico em colágeno, o que confere grande elasticidade, menor vulnerabilidade às rugas e à flacidez. Esse farto colágeno retém altos teores de água nas camadas mais profundas da tez, o que dá a aparência hidratada e refinada, com menor chance de ressecamento. A melanina está presente em quantidade significativa e participados processos de reparação da pele. Assim, há riscos de surgirem manchas diante de qualquer agressão — ferimentos, exposições solar, depilação, picadas de inseto e procedimentos como peeling e laser”, conta Ligia Kogos, dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica e da Sociedade Brasileira de Medicina Estética (SP).

Mais propensa a… olheiras, bolsas sob os olhos, rugas em volta da boca e dos olhos, poros dilatados, manchas escuras.

Prevenção: “O uso de protetor solar é indispensável à prevenção do envelhecimento em qualquer tipo de pele, mas na oriental assume grande importância pela facilidade do aparecimento de manchas”, avisa a médica.

Cosmético-chave: “Hidratante com FPS 15 para o dia, contendo estimuladores de colágeno, em creme ou loção cremosa. Se contiverem também clareadores suaves, como Arbutin, e ativos tensores, vão impedir as manchas e vão dar aspecto descansado e bem cuidado diariamente”, indica Ligia Kogos. À noite, a médica recomenda cremes de ação refinadora, à base de vitamina C e outros ácidos, usados alternadamente com formulações contendo hormônios.

No consultório: injeções de ácido hialurônico são ideais para a pele oriental, pois não oferecem risco de manchar, como ocorre com peelings médios e lasers. “Novas substâncias à base de ácido hialurônico delicado (como Juvederm, Refine, Vital e Voluma) permitem o tratamento de olheiras, bolsas, sulcos e promovem o efeito lifting na face”, explica a dermatologista.

Em casa: uso de cremes com ácido glicólico, retinoico e de frutas, além de vitamina C. O uso de hormônios, como o estradiol, em cremes ou por via oral (dependendo da fase na qual a mulher está), neutraliza parcialmente a perda de colágeno, que é comum neste tipo de pele.

Morena tropicana

“Assim como os outros tipos, a pele é constituída de três camadas. A visível é a epiderme, rica em ceratinócitos (células que sintetizam queratina); depois vem a derme, rica em colágeno, elastina e substância fundamental; e a hipoderme, constituída de gordura. Com o processo de envelhecimento, além de todas as alterações da epiderme, que fazem que a pele se torne manchada, sem viço, com um aspecto amarelado e áspero, a derme, que tem o objetivo de dar firmeza e sustentação, vai perdendo colágeno, dando origem à flacidez”, exemplifica Adriana Vilarinho, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da American Academy of Dermatology (SP).

Mais propensa a… linhas de expressão ao redor dos olhos. Além disso, os sulcos nasogenianos (que vão do nariz à boca) podem se tornar mais pronunciados.

Prevenção: utilizar diariamente filtro solar FPS 30 no rosto, no pescoço, no colo e nas mãos e manter uma dieta balanceada, rica em alimentos antioxidantes para driblar os danos causados pelos radicais livres. “Comprovadamente, uma dieta pobre em carboidratos simples, que no organismo se transformam em açúcar, também previne o envelhecimento do corpo todo”, alerta a dermatologista.

Cosmético-chave: filtro solar, necessário tanto para prevenir o envelhecimento como o câncer de pele, com FPS acima de 30, podendo ser em gel para as peles mais oleosas ou em creme para as secas. “Atualmente, a maioria dos protetores possui na fórmula antioxidantes. Por isso, o filtro solar é o produto de escolha para o uso diário pela manhã, já que, em um mesmo frasco, temos proteção, hidratação e poder antioxidante”, afirma Adriana Vilarinho.

No consultório: “O laser de CO2 fracionado está indicado para o tratamento da pele envelhecida, com rugas, linhas de expressão e flacidez. Como existem intensidades diferentes na tecnologia, é um aparelho que pode tratar todos os graus de envelhecimento, com uma a duas sessões anuais. Ele atua na pele estimulando a regeneração dérmica, com a formação e o remodelamento das fibras de colágeno”, indica.

Em casa: além das medidas preventivas, usar produtos que contenham substâncias antiaging, como derivados do ácido retinoico, vitamina C e também produtos hidratantes.

Pérola negra

“Ela possui maior quantidade de melanina em sua superfície e maior quantidade de fibras elásticas, o que confere boa elasticidade e firmeza, porém, com propensão maior às manchas, como as que surgem devido à acne (hiperpigmentação pós-inflamatória) e o temido melasma (manchas amarronzadas na face, que têm difícil tratamento)”, alerta Katleen Conceição, dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, chefe do Ambulatório de Pele Negra do Hospital Federal de Bonsucesso e chefe do setor de Pele Negra na Clínica Dermatológica Paula Bellotti (RJ).

Mais propensa a… manchas, escurecimento nos olhos e sinais escuros e elevados na pele (dermatos e papulosa nigra).

Prevenção: “O principal é aplicar filtro solar diariamente. Essa atitude também é importante em dias nublados e em ambientes muito iluminados, pois até mesmo a luz visível é capaz de causar manchas na pele”, diz a médica.

Cosmético-chave: protetor solar com FPS no mínimo 15 em gel, gel-creme, sérum ou oil-free. “Indico, também, vitamina C para dar luminosidade e uniformidade à pele”, revela Paula Bellotti.

No consultório: “A mais nova terapia é o Ulthera, um ultrassom ultrafocado capaz de atingir as camadas mais profundas da pele para estimular a produção de colágeno, melhorando a flacidez e a elasticidade. Normalmente, se realiza uma sessão por ano”, indica a especialista. Ela avisa que é preciso ter cautela na realização de laser ou peeling, pois a pele negra, quando agredida, produz mais melanina, o que pode causar manchas.

Em casa: aplicar hidratantes com filtro solar.

 

Fonte: Da Redação com Corpo a Corpo

Vida e Saúde