Vida e Saúde

O Câncer de Mama não é um laço rosa

Atualizado em: 26/10/2013

capa

Série: #OutubroRosa

Fotógrafo retrata cicatrizes de mulheres que tiveram câncer de mama

Para conscientizar as mulheres mais jovens sobre o câncer de mama, o fotógrafo David Jay criou o "The Scar Project's" (Projeto de Cicatriz, em tradução livre) para fotografar mulheres diagnosticadas com a doença que passaram pela mastectomia (retirada da mama). Jay fotografou mais de 100 mulheres para o projeto. Mas nem sempre as imagens foram clicadas no estúdio do fotógrafo, que fica localizado em Nova York. Ele viajou para diversos países, como Austrália, México, Itália, Brasil e Índia, para registrar as mulheres vítimas da doença

t

O trabalho foi exibido em algumas galerias e virou um livro "The SCAR Project: Breast Cancer Is Not A Pink Ribbon" (Projeto Cicatriz: Câncer de Mama não é um laço rosa, em tradução livre)
Jay afirma que as imagens podem ser desconfortáveis para algumas pessoas, mas elas forçam a confrontar os medos, a vida e a morte. "A realidade nem sempre é boa. Essa é a realidade. O projeto é uma oportunidade de ampliar o dialógo sobre o câncer de mama e temas que nem sempre são confortáveis de conversar a respeito", acredita.De acordo com o fotógrafo, cada sessão de fotos dura de uma a quatro horas. "Às vezes eu tenho certeza que já tenho a foto ideal logo nos primeiros clique, mas em alguns casos preciso de muitas fotografias para encontrar a ideal", revela.

O projeto teve início depois que uma amiga de Jay foi diagnosticada com câncer de mama aos 29 anos e teve que passar por uma mastectomia.
A idade das mulheres fotografadas varia entre 18 e 35 anos e Jay conta que decidiu registrar mais jovens para alertar que a doença também aparece nessa faixa etária. "A maior parte da mídia fala do câncer de mama em mulheres acima dos 40, mas eu quis conscientizar as mulheres mais jovens dessa doença", justifica.
Para o fotógrafo, a maior lição que aprendeu com o projeto foi que as coisas ruins que acontecem na vida podem trazer consequências positivas. "A pior coisa que acontece na sua vida também pode ser a melhor, pois é aquela que vai te tirar da inércia. No dia a dia a gente sempre deixa nossos projetos e sonhos para depois, mas eles não devem ficar de lado", pondera.
Muitas mulheres diagnosticadas com câncer de mama consideram o projeto uma inspiração. "Vi as imagens enquanto estava me tratando no hospital e esse trabalho me deu forças, mudou minha vida", relata uma paciente na página do Facebook do The Scar Project?
Uma das mulheres que posou para as lentes do fotógrafo afirmou que fazer as fotos a ajudou no processo de aceitar suas cicatrizes

O PROJETO

O Projeto SCAR é uma série de retratos em larga escala de jovens sobreviventes de câncer de mama captadas por fotógrafo de moda David Jay . Principalmente uma campanha de sensibilização , o projeto SCAR coloca um , inabalável rosto cru no aparecimento do câncer de mama precoce ao pagar o tributo à coragem e espírito de tantas jovens mulheres corajosas.

Dedicado aos mais de 10.000 mulheres com idade inferior a 40 anos que serão diagnosticados somente este ano , o Projeto SCAR é um exercício de consciência, esperança, reflexão e cura. A missão é triplo: aumentar a consciência pública de câncer de mama precoce , angariar fundos para os programas de pesquisa / extensão do câncer de mama e ajudar jovens sobreviventes ver suas cicatrizes , rostos, figuras e experiências através de um novo , honesto e, finalmente, capacitando lente.

O câncer de mama é a principal causa de mortes por câncer em mulheres jovens idades 15-40 . Os participantes do projeto SCAR variar de 18 a 35, e representam este grupo muitas vezes esquecido de mulheres jovens que vivem com câncer de mama. Eles jornada de toda a América – eo mundo – para ser fotografado para o Projeto SCAR . Cerca de 100 até o momento. O mais jovem a ser de 18 anos.

Embora Jay começou a filmar O Projeto SCAR principalmente como uma campanha de sensibilização, que ele não estava preparado para algo muito mais imediato . . . e bela : "Para esses jovens , tendo seu retrato tirado parece representar a sua vitória pessoal sobre esta doença terrível .

Ela ajuda-los a recuperar sua feminilidade, sua sexualidade, identidade e poder, depois de ter sido roubado de uma parte tão importante do mesmo. Através destas imagens simples, elas parecem ganhar alguma aceitação do que aconteceu com eles ea força para seguir em frente com orgulho." diz.

Fonte: Da Redação com Notícias Uol

Vida e Saúde