Vida e Saúde

No dia 7 de junho será realizada a 5ª edição da Campanha Inspire Respire

Atualizado em: 06/06/2013

nariz

A partir das 7h desta quinta-feira, 7, as pessoas que passarem pelo Calçadão na Praia de Cabo Branco, em João Pessoa, poderão se informar sobre a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC), enfermidade que prejudica a respiração ocasionada principalmente pelo tabagismo. Trata-se de uma iniciativa do laboratório Novartis em parceria com a clínica Pulmonar Diagnósticos.

A campanha visa alertar à população sobre a importância do diagnóstico precoce da doença, oferecendo, além de informação, o exame gratuito às pessoas acima de 40 anos, idade de maior prevalência da doença. Estima-se que no Brasil, cerca de cinco milhões de pessoas sejam afetadas pela doença¹. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde, nos últimos dez anos a DPOC foi a 5ª maior causa de internação no Sistema Único de Saúde (SUS), responsável por aproximadamente 200 mil hospitalizações por ano². Em cinco anos, o número de mortes pela doença no País aumentou 12%, passando de 33.616 em 2005, para 37.592 em 20103. De acordo com informações da Organização Mundial da Saúde (OMS), será a terceira maior causa de morte no mundo até 20304.

Mitos e Verdades

– A DPOC afeta apenas pessoas idosas: a doença afeta principalmente pessoas com idade acima de 40 anos, podendo, inclusive, ser identificada em pessoas mais jovens, ou seja, no auge de seu poder aquisitivo e responsabilidades familiares

– Tosse e chiado no peito são normais para quem fuma e a falta de ar é sinal da idade: os sintomas da DPOC são geralmente confundidos com o envelhecimento natural e os mais comuns são falta de ar excessiva, além de tosse e produção de catarro – com ou sem chiado no peito. A recomendação da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) é que fumantes e ex-fumantes acima de 40 anos consultem anualmente um pneumologista para avaliação médica.

– A DPOC afeta exclusivamente homens: hoje a doença afeta quase igualmente homens e mulheres, devido ao aumento do tabagismo entre mulheres.

– A DPOC não é uma doença grave: a DPOC é a quarta maior causa de mortalidade em todo o mundo e estima-se que será a terceira maior causa de mortalidade até 2020. Além disso, os impactos da doença podem prejudicar de forma significativa a qualidade de vida dos pacientes.

– A DPOC não pode ser tratada: Apesar de não ter cura, a doença pode ser prevenida e controlada. Parar de fumar, fazer mudanças nos hábitos de vida e adotar o tratamento com medicamentos broncodilatadores (que dilatam os brônquios) são ações que ajudam a retardar o progresso da doença, reduzem a falta de ar e oferecem ganhos à qualidade de vida dos pacientes. Medicamentos utilizados uma vez ao dia e com respostas mais rápidas aumentam a adesão ao tratamento e melhoram a respiração no período de maior dificuldade dos pacientes que é pela manhã ao despertar.

Serviço

Data: 7 de junho de 2013
Horário: A partir das 7h
Local: Calçadão na Praia de Cabo Branco, Busto de Tamandaré
Importante: serão atendidas 400 pessoas com mais de 40 anos (fumantes ou não fumantes). Os interessados serão atendidos por ordem de chegada e devem levar a carteira de identidade (RG).

Assessoria (morgueFile free photo)

Vida e Saúde