Vida e Saúde

Mulheres que não amamentam são mais propensas ao câncer de mama

Atualizado em: 23/10/2012

outubro_rosa_201110

 Amamentação reduz o risco de câncer de mama receptor de estrogênio e progesterona negativo (ER/PR-negativo), de acordo com estudo realizado na Columbia University's Mailman School of Public Health, nos EUA.

Os resultados indicam ainda que mulheres que tiveram três ou mais filhos e não amamentaram apresentaram um risco ainda maior da doença.

Câncer de mama ER/PR-negativo muitas vezes afeta mulheres mais jovens e tem um prognóstico pior que outros tipos da doença.

Os pesquisadores analisaram dados um estudo que incluiu 4.011 mulheres com câncer de mama e 2.997 mulheres sem o câncer.

Eles examinaram a associação entre fatores de risco reprodutivos, como o número de filhos que uma mulher tem, a amamentação e uso de contraceptivos orais, e encontraram um risco aumentado para o câncer ER/PR-negativo em mulheres que não amamentaram.

"As mulheres que tiveram filhos, mas não amamentaram, tinham cerca de 1,5 vezes mais risco de desenvolver câncer de mama ER/PR-negativo. Se as mulheres amamentaram seus filhos, não houve aumento do risco do câncer. Isto é particularmente importante, pois a amamentação é um fator modificável que pode ser promovido e apoiado através de políticas de saúde", afirma autora da pesquisa Meghan Work.

Os investigadores também descobriram que o uso de contraceptivo oral não foi associado com risco de câncer ER/PR-negativo, com a exceção das formulações disponíveis antes de 1975. Essas formulações anteriores continham doses mais elevadas de estrogênio e progesterona do que as versões mais recentes.

Estes resultados apoiam pesquisas anteriores que têm demonstrado um benefício da amamentação sobre o câncer de mama triplo-negativo, o que inclui cânceres de receptores de estrogênio e progesterona negativos.

iSaúde

Vida e Saúde