Vida e Saúde

Mulheres que leem rótulos nutricionais dos alimentos pesam 4 kg a menos

Atualizado em: 14/09/2012

tabela

Estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Santiago de Compostela, na Espanha, garante que ler os rótulos dos produtos alimentares está ligado à prevenção da obesidade, especialmente em mulheres.

A pesquisa, que usou dados da população dos EUA, sugere que os consumidores do sexo feminino que consultam os rótulos dos alimentos pesam cerca de 4 kg menos.

Utilizando dados do Inquérito Nacional de Saúde Anual (SNIS), realizado pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, os pesquisadores avaliaram informações de 25.640 hábitos alimentares e comerciais. Estes incluíram perguntas sobre se os participantes liam a informação nutricional em supermercados e quantas vezes faziam isso.

"Primeiro analisamos qual era o perfil de quem lia o rótulo nutricional na compra de alimentos e, depois, verificamos a relação disso com seu peso", explica a autora da pesquisa María Loureiro.

A equipe encontrou diferenças muito significativas entre os consumidores que leem os rótulos e os que não verificam os componentes nutricionais. Por um lado, o estudo mostra que a população que fuma presta muito menos atenção a essa informação. De acordo com o pesquisador, "o seu estilo de vida envolve hábitos menos saudáveis e, como consequência, poderia ser o caso de que eles não estão tão preocupados com o conteúdo nutricional dos alimentos que comem, é o que mostram os resultados".

Os resultados mostraram ainda que a população que mora na cidade (49% da amostra) leva mais em conta as informações nutricionais. Este também é o caso para aqueles com ensino médio (40% dos participantes) e estudantes universitários (17% do total da amostra).

De acordo com o sexo, 58% dos homens, ou leem habitualmente ou sempre leem as informações contidas nos rótulos nutricionais. No entanto, esta porcentagem é de 74% para as mulheres.

"Em geral, o impacto associado foi maior entre as mulheres do que nos homens. Em média, as mulheres que leem a informação nutricional têm um índice de massa corporal de 1,48 pontos mais baixos, e esta diferença é apenas 0,12 pontos nos homens", afirmam os autores.

"Sabemos que esta informação pode ser utilizada como um mecanismo para prevenir a obesidade. Temos visto que aqueles que leem os rótulos dos alimentos são aqueles que vivem em áreas urbanas, pessoas com ensino médio e educação. Como seria de esperar, portanto, campanhas e políticas públicas podem ser destinadas a promover a utilização da rotulagem nutricional nos cardápios em restaurantes e outros estabelecimentos públicos para o benefício de quem costuma comer fora", conclui Loureiro.

iSaúde
 

Vida e Saúde