Método preserva fertilidade em mulheres jovens após tratamento do câncer

Transparência, top cropped e bota de cano longo para eles
22 de junho de 2013
Camisa Jeans: Ela transita facilmente do universo casual ao elegante
22 de junho de 2013

Método preserva fertilidade em mulheres jovens após tratamento do câncer

Cientistas da Northwestern Medicine, nos EUA, descobriram um caminho molecular que pode preservar a fertilidade em mulheres jovens que passaram por tratamento de câncer.

A pesquisa indica que a adição do medicamento quimioterápico mesilato de imatinib à droga cisplatina impede a morte precoce de ovócitos, ou ovos ovarianos, em mulheres que receberam quimioterapia e radioterapia.

Os resultados foram apresentados na 95a Reunião Anual da Sociedade de Endocrinologia, em San Francisco.

"Esta investigação avança os esforços para encontrar um tratamento médico para proteger a fertilidade e a saúde hormonal de meninas e mulheres jovens durante o tratamento do câncer", afirma a investigadora principal So-Youn Kim.

A adição de mesilato de imatinib à droga cisplatina bloqueia a ação de uma proteína que desencadeia uma cascata de eventos que resultam na morte dos ovos imaturos. Kim descobriu que a proteína que desencadeia a morte final do ovócito é TAp63.

Pesquisas anteriores sugeriram que o imatinibe é uma droga que protege a fertilidade contra cisplatina, mas relatos de eficácia da droga têm sido contraditórios, segundo os pesquisadores.

Kim e seus colegas confirmaram a eficácia da droga em um modelo animal. Ela está atualmente testando imatinibe com outros agentes de quimioterapia, para ver se a droga também protege a fertilidade em combinação com eles.

Para demonstrar que o imatinib protege os oócitos contra a cisplatina, Kim e colegas cultivaram ovários (contendo ovos imaturos) de ratos com cinco dias de idade, com imatinib e cisplatina, durante 96 horas.

Os ovários foram depois colocados em uma cápsula no rim dos ratos hospedeiros para manter os ovários vivos. Duas semanas depois, os óvulos imaturos ainda estavam vivos. O imatinib não bloqueou o dano ao DNA induzido pela cisplatina, mas Kim acredita que os ovos podem se recuperar e reparar os danos ao longo do tempo.

iSaúde

Dani Rabelo
Jornalista do WSCOM Online, sócia e editora-chefe do Portal Mulher de Fato, cantora nas horas vagas, tagarela, observadora, carioca da gema e pessoense de coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *