Vida e Saúde

Margarina é mais prejudicial à saúde que manteiga

Atualizado em: 07/02/2013

SONY DSC

 Substituir a manteiga pela margarina pode ser prejudicial para a saúde. É o que afirmam cientistas do Instituto Nacional de Saúde dos EUA.

A pesquisa afirma que a gordura poli-insaturada presente na margarina dobra o risco de doenças cardíacas.

Nos últimos 50 anos, diretrizes têm aconselhado a reduzir a ingestão de gorduras animais saturadas, e comer mais gorduras vegetais poli-insaturadas encontrados na margarina.

A equipe de pesquisa analisou dados de um estudo realizado em Sydney, na Austrália, entre1966 e 1973 com 458 homens com idades entre 30 a 59 anos, que recentemente tiveram um ataque cardíaco ou angina.

Metade dos participantes foi aconselhada a cortar o consumo de gordura animal e substituí-lo por óleo de cártamo, semelhante ao óleo de girassol, e margarina.

Os resultados, publicados no British Medical Journal, mostraram que aqueles que comiam mais destes produtos tinham quase duas vezes mais probabilidade de morrer de todas as causas, incluindo doenças cardíacas.

A equipe decidiu avaliar o estudo Sydney porque ele foi o único estudo controlado a olhar para o impacto do aumento do consumo de ácido graxo poli-insaturado ômega 6.

Ômega 6, a gordura poli-insaturada mais prevalente na maioria das dietas ocidentais, é também conhecido como ácido linoleico. Ele é encontrado em grandes quantidades em óleos vegetais tais como o milho, girassol, cártamo, e soja e em margarinas feitas a partir destes óleos.

Uma vez no corpo, é convertido em um composto químico chamado ácido araquidónico, que pode provocar a liberação de outras substâncias químicas que conduzem à inflamação, a principal causa de uma série de doenças crónicas, incluindo doenças do coração.

Os pesquisadores afirmam que suas descobertas podem ter implicações importantes para as recomendações dietéticas de todo o mundo.

iSaúde

Vida e Saúde