Vida e Saúde

Mais agressiva que a TPM, a TDPM impede mulheres de realizar atividades cotidianas

Atualizado em: 13/07/2012

No período próximo à menstruação, alguns indícios afetam diretamente as mulheres, sobretudo, a mudança de humor. Mais agressiva que a TPM, A TDPM, Transtorno Disfórico Pré Menstrual, é responsável por essa alteração no temperamento de cerca de 10% das mulheres brasileiras em idade reprodutiva. O Transtorno é tão severo que priva a mulher de viver, já que se sente incapaz de desempenhar funções diárias, sofre intensos ataques de oscilação de humor e súbita vontade de isolamento, segundo a ginecologista da Unifesp, Dra. Carolina Ambrogini.

“A serotonina é o neurotransmissor responsável pela regulação do humor e, com a proximidade da menstruação, a produção desse agente e dos hormônios caem e a mulher torna-se instável”, define a especialista, o que justifica a total desordem pelas quais muitas mulheres estão sujeitas mensalmente.

Assim como na TPM, a TDPM altera o ritmo de vida por, no mínimo, uma semana. Por se tratar de um nível mais agressivo em relação à TPM, os cuidados precisam ser redobrados, com máxima atenção a sintomas como o humor depressivo, a ansiedade, a falta de concentração, o inchaço corporal e a enxaqueca.

Enquanto que durante a TPM as mulheres ficam alteradas e apresentam um leque de sintomas, na TDPM elas se tornam literalmente incapacitantes, chegando a impossibilidade de desempenhar funções corriqueiras como trabalhar, por exemplo. Segundo a Dra. Carolina, as mulheres mais aptas a desenvolver o problema são aquelas que “apresentam quadros de depressão, estresse, desequilíbrio de serotonina, ansiedade e distúrbios psicológicos como a síndrome do pânico”.

Tratamento

Na TPM, os efeitos podem ser aliviados com exercícios ou com o simples ato de consumir um chocolate. Já na TDPM a situação é mais grave. Por tratar-se de um distúrbio de neurotransmissores, não se pode falar em cura. Visto que não existe exame que detecte o problema, o diagnóstico realizado é clínico e a paciente deve descrever, principalmente, os sintomas relacionados ao humor. “O tratamento recomendado é o uso de antidepressivos, que aumentam o nível de serotonina no organismo. No entanto, existem mulheres que preferem bloquear a menstruação por meio do uso contínuo de pílulas”, esclarece a ginecologista.

Algumas recomendações ajudam a amenizar os efeitos agressivos do Transtorno. Evitar chocolate, doces e cafeína são importantes, pois tais alimentos estimulam a produção de serotonina. Os exercícios aeróbicos também são aconselháveis, já que propiciam a liberação de endorfina no corpo, assim como a prática da ioga, tida como um calmante para os nervos.

A chegada da menstruação ameniza os sintomas, o que não significa que a mulher está livre do incômodo. O tratamento demanda tempo, paciência, e é importante que a mulher fuja de situações que possam agravar o seu estado de estresse.

Saúde em Pauta

Vida e Saúde