Vida e Saúde

Instituto faz palestras no Twitter sobre câncer de mama

Atualizado em: 07/10/2012

outubro_rosa_20112

Em adesão à campanha internacional Outubro Rosa, voltada para a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de mama, o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), unidade ligada à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, inicia, na próxima segunda-feira (8), uma série de miniconferências virtuais para esclarecer dúvidas sobre como evitar a doença e a hora de procurar tratamento.

Os interessados nas palestras de médicos convidados, que sempre ocorrerão às 16 horas, de segunda a sexta-feira, deverão acessar acessar o perfil @Icesp_ do instituto no Twitter ou clicar no endereço http://twitter.com/Icesp_ ). A transmissão poderá ser localizada também por meio da hashtag #outubrorosaicesp.

O Icesp também lançou um selo que pode ser aplicado pelos usuários do Twitter e do Facebook em suas fotos de perfil. Essa ação tem o objetivo de estimular adesões à campanha Outubro Rosa. Neste caso, os interessados têm acesso clicando no endereço www.picbadges.com/badge/2796143/#.

O mastologista do Icesp Sérgio Masili  alerta que, quanto mais cedo as mulheres forem orientadas sobre o câncer de mama, mais fácil conseguirão, no futuro, identificar possíveis alterações que podem significar o surgimento da doença. “As mais jovens devem ter cuidados com o corpo e aprender a examinar a mama. São pequenas atitudes que, muitas vezes, acabam salvando vidas, porque o diagnóstico precoce aumenta as chances de cura”, salientou.

De acordo com o médico, em qualquer faixa etária existe o risco de se contrair a doença, mas o pico está no período da menopausa, normalmente acima dos 50 anos, em decorrência do envelhecimento natural do processo de formação celular e após anos de exposição ao hormônio estrogênio.

Entre as recomendações para prevenir o aparecimento da doença, ele cita a adoção de uma dieta saudável, sem excessos de gordura e bebida alcoólica. As mulheres também devem evitar o hábito de fumar.

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) estimativa para este ano a identificação de 52,6 mil novos casos de câncer de mama  no Brasil, dos quais 15,6 mil no estado de São Paulo. Este é o tipo de câncer mais letal entre as mulheres, com a ocorrência de 10 mil mortes por ano, sempre em razão da descoberta tardia.

Apesar desses números elevados, o Inca informou que houve uma evolução favorável na qualidade dos serviços oncológicos e maior acesso de brasileiras aos exames preventivos. De janeiro a junho deste ano, cresceu em 41% os exames de mamografia em mulheres com idades entre 50 e 69 anos pelo  Sistema Único de Saúde (SUS), com um total de  2.139.238 procedimentos.

Agência Brasil

Vida e Saúde