Vida e Saúde

Importação e comércio de prótese mamária francesa ficam proibidos no Brasil

Atualizado em: 10/03/2012

As próteses mamárias da marca francesa PIP (Poly Implant Prothèse) e da holandesa Rofil não poderão ser mais importadas, distribuídas e comercializadas no Brasil.

A proibição pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) foi publicada nesta sexta-feira no “Diário Oficial” da União.

O texto também indica que os produtos remanescentes terão de ser recolhidos do mercado pelas importadoras no prazo de 30 dias a contar da publicação de hoje. Elas terão de apresentar à Anvisa a quantidade recolhida, mas ficarão responsáveis pela guarda de todas unidades.

Os dois implantes importados para o Brasil apresentaram possibilidade de ruptura, colocando em risco a saúde das mulheres.

A fraude de nível internacional mobilizou vários governos europeus. Na França, o governo ordenou a remoção imediata do produto pelas mulheres.

No Brasil, o Ministério da Saúde decidiu pela troca das próteses com cobertura pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e pelos planos de saúde privados desde que houvesse rompimento do silicone.

Folha Online

Vida e Saúde