Vida e Saúde

Idade também influencia na eficiência da fertilização

Atualizado em: 04/05/2012

A fertilidade feminina está diretamente relacionada à idade. Quanto mais jovem a mulher, maiores são as possibilidades de uma gravidez, seja ela natural ou por meio de algum dos métodos de reprodução assistida (relação programada, inseminação artificial ou fertilização in vitro).

A idade é um complicador da fertilidade feminina, em especial após os 35 anos, porque ela é determinante na quantidade e qualidade dos óvulos. A mulher já nasce com todos os óvulos prontos. Conforme o tempo vai passando, esse material vai morrendo e envelhecendo juntamente com o organismo.

“Os óvulos de mulheres mais velhas são mais espessos, por isso fica mais difícil para o espermatozoide penetrar. Além disso, por conta da perda de qualidade, as chances de se formar um embrião com algum problema nos cromossomos são muito maiores”, explica André Luiz da Costa, ginecologista diretor da Fertvida, de Fortaleza.

Mesmo que a paciente mais velha passe pelo procedimento de estimulação ovariana, os óvulos serão de qualidade inferior aos de uma mulher mais jovem. Isso pode, inclusive, comprometer o trabalho de fertilização assistida.

Para o médico, o fator mais importante da fertilidade da mulher são os óvulos, pois até mesmo no procedimento artificial eles podem ser decisivos no sucesso de um tratamento. “A gente observa casos de mulheres que já passaram pela menopausa e engravidam. Mas a gestação foi concebida com o óvulo doado de uma mulher jovem. Claro que a gravidez dessa mulher vai ser supermonitorada porque, por conta da idade, aumentam alguns riscos, como o de diabetes”, diz Costa.

Terra

Vida e Saúde