Hemocentro realiza novo procedimento de doação de sangue

Risqué lança oito novas cores e amplia seu portfólio da linha Hipoalergênico
13 de janeiro de 2012
Delegacia da Mulher na Paraíba registra mil ocorrências em 2011
22 de janeiro de 2012

Hemocentro realiza novo procedimento de doação de sangue

O Hemocentro da Paraíba vem utilizando um novo procedimento para a captação de sangue: a doação por aférese. Para a real

O Hemocentro da Paraíba vem utilizando um novo procedimento para a captação de sangue: a doação por aférese. Para a realização das coletas, duas máquinas estão em funcionamento no Hemocentro da Capital e atendem, diariamente, a cerca de dez pessoas. Nesse tipo de doação, que demora entre cinqüenta minutos e uma hora, o sangue é retirado da veia, passa por uma máquina que separa o componente escolhido (no caso, as plaquetas) e o restante é devolvido para o doador.

Fabricados pela medula óssea, as plaquetas são os componentes do sangue responsáveis pela coagulação, ou seja, têm como principal função coibir os sangramentos. O paciente que não produz plaquetas, seja devido a uma doença da medula óssea ou pelo uso de medicações que inibam sua produção ou, ainda, por desenvolver alguma doença em que o funcionamento das plaquetas é precário, corre o risco de hemorragia – ocorrência que pode levar o paciente à morte, caso não seja feita uma transfusão plaquetária.

A diretora administrativa do Hemocentro de João Pessoa, Maria Ione Moura, explica que qualquer pessoa que faz a doação no método convencional pode fazer a doação por aférese. Para isto, basta apenas comparecer ao setor de coleta e agendar a doação. “Havendo horário disponível, ele é atendido de imediato. Caso contrário, o atendimento é agendado para outro horário”, explicou. Para ser um doador por aférese, é preciso que o candidato já tenha feito pelo menos uma doação de sangue no método convencional, no Hemocentro.

Entre as vantagens da doação por aférese, a diretora administrativa do Hemocentro destacou que, três dias após a doação, o doador poder fazer outra, sem qualquer problema. Já no método convencional, o intervalo entre as doações é de 90 dias. Outra vantagem desse tipo de doação é a diminuição dos riscos de reação nos pacientes. Ione Maria disse ainda que o concentrado de plaquetas retirado de uma doação por aférese equivale a aproximadamente cinco doações normais, beneficiando um maior número de receptores.

As plaquetas retiradas na doação por aférese são usadas por pacientes oncológicos atendidos no Hospital Napoleão Laureano e no próprio Hemocentro. Elas também podem ser usadas por hemofílicos, desde que apresentem sangramento. “Esse procedimento é totalmente seguro. O material utilizado é descartável e os critérios exigidos para esse tipo de doação são os mesmos para a doação de sangue convencional”, completou.

Fonte: Assessoria

Denise Lemos
Diretora Executiva do Portal Mulher de Fato, CEO Up Branding Marketing Digital, CEO Startup 28Dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *