Vida e Saúde

Governo discute ações de saúde para população LGBT

Atualizado em: 28/04/2013

foto-debate-glbt

As ações de saúde voltadas para a população LGBT foram discutidas na última semana, durante seminário promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde (SES). O I Seminário Estadual de Saúde da População LGBT aconteceu durante todo o dia no auditório do Centro Formador de Recursos Humanos (Cefor) e reuniu aproximadamente 100 pessoas, entre representantes das Gerências Regionais de Saúde e representantes de Organizações Não Governamentais (ONGs).

A representante do Ministério da Saúde e coordenadora do Comitê Técnico Nacional de Saúde Integral da População LGBT, Kátia Souto, participou do seminário, proferindo a palestra “Atualização sobre os avanços da Política Nacional de Saúde Integral da População LGBT e desafios para o Estado da Paraíba”. Para ela, o evento marca um dia importante não só para a população LGBT, mas para toda a sociedade. “A nossa sociedade ainda é discriminatória, não só para a sociedade LGBT, mas para os negros, os indígenas, pessoas com deficiência, e até com relação aos idosos. A política LGBT procura dialogar com as demais políticas, para assim elegermos prioridades”, comentou.

De acordo com a presidente da Associação dos Travestis da Paraíba (Astrapa) e representante do Comitê Nacional de Saúde Integral da População LGBT, Fernanda Benvenutty é extremamente importante reunir gestores para o diálogo em torno da população LGBT. “Nós buscamos aqui um dia de boas propostas e de resolutividade para essas propostas. Que os gestores possam dialogar e conhecer cada vez mais a população LGBT, que é uma população ampla e diversa. Eventos como esse são importantes para reunir as cabeças pensantes desse movimento e trazer políticas efetivas de saúde LGBT na Paraíba”, disse.

Segundo a gerente operacional das DST/AIDS e Hepatites Virais da Secretaria de Estado da Saúde, Ivoneide Lucena, o seminário faz parte das ações do Comitê Estadual de Saúde Integral da População LGBT. “O nosso objetivo aqui é fortalecer o diálogo e as ações de cuidado para com essa população, que não é pequena no Estado. Queremos dar visibilidade a essa população, que infelizmente ainda é vista com muito preconceito pelas pessoas e para isso devemos colocar em prática o que vem ocorrendo na atual gestão em todas as Secretarias Estaduais, que é o respeito à individualidade humana, e incluir essa população nos serviços de saúde”, ressaltou.

Ivoneide Lucena destacou que o Estado, por meio da Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (Semdh), implantou o Espaço LGBT, onde são disponibilizados atendimentos com psicólogos e advogados para as pessoas que fazem parte da população LGBT. “Além disso, nos próximos dias a SES estará implantando um Ambulatório Estadual de Saúde da População TT (Travestis e Transexuais), no Hospital Clementino Fraga. Nesse local as pessoas terão o acompanhamento de fonoaudiólogo, ginecologista, endocrinologista, psicólogo, dentista, entre outros. Dessa maneira, acredito que estamos avançando, resignificando e propondo formas de cuidado para as pessoas LGBT do Estado”, completou.

“É um momento de pensarmos e implementarmos políticas de acesso à saúde integral para lésbicas, travesti ou mulher trans, homem trans e gay”, enfatizou a gerente executiva de Direitos Sexuais e LGBT, Roberta Rocha Schultz.

Também estiveram presentes ao evento a secretária de Estado da Mulher e da Diversidade Humana, Gilberta Santos Soares; a diretora do Complexo Hospitalar Clementino Fraga, Adriana Teixeira; e o representante do Fórum de Entidades LGBT da Paraíba, Luciano Vieira.

Assessoria

Vida e Saúde