Vida e Saúde

Fumo, o álcool e as drogas afetam a fertilidade

Atualizado em: 18/05/2012

Cigarro, álcool e drogas fazem mal à saúde em geral e também afetam a fertilidade. Mas homens e mulheres podem ter consequências distintas por conta do consumo dessas substâncias.

De um modo geral, o cigarro está ligado a problemas como a perda de memória e câncer da boca e do pulmão; o álcool, à cirrose; e, as drogas às paradas cardíacas e aos comportamentos agressivos. E como esses problemas podem prejudicar a fertilidade?

Fumo: piora do sêmen e risco de aborto
No homem o cigarro e seus componentes pioram os parâmetros de análise do sêmen e as provas funcionais dos espermatozoides. Ou seja, ele diminui a qualidade e a quantidade dessas células, de acordo com o médico Renato Fraietta, especialista em reprodução humana da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Na mulher, há um maior risco de abortamento e de gravidez ectópica (gestação que ocorre fora da cavidade uterina). O consumo do tabaco também diminui a motilidade tubária, o que dificulta a passagem do espermatozoide para efetuar a fecundação. Pode, também, haver uma antecipação da menopausa em até quatro anos.

Um estudo realizado com 6 mil pacientes pelo Grupo de Apoio ao Tabagista do Hospital do Câncer A. C. Camargo, de São Paulo, descobriu que, psicologicamente, o tabaco gera nas mulheres efeitos mais intensos do que entre os homens. Por isso, elas têm mais problemas de largar o vício e se tornam mais dependentes. O mesmo estudo constatou que as mulheres podem ter um aumento da taxa de infertilidade, alterações menstruais e doenças cardiovasculares.

Álcool traz alterações hormonais
O efeito do álcool nas mulheres não é igual ao registrado nos homens porque seus metabolismos são diferentes. Geralmente, uma mesma dose para dois indivíduos de sexos opostos levará a um maior nível alcoólico no sangue da mulher.

No diz a respeito à fertilidade, o álcool promove uma diminuição do volume seminal e da qualidade seminal – e ele pode aumentar o efeito negativo do tabagismo. Em caso de abuso, o álcool pode levar à insuficiência hepática, com alterações hormonais de todos os níveis, inclusive as que atuam na fertilidade.

Para as mulheres, embora não haja unanimidade médica a respeito, o médico afirma que o álcool pode também trazer complicações na gravidez, como pré-eclâmpsia, e prejuízo no desenvolvimento fetal.

Drogas trazem vários efeitos colateriais
As drogas são diversas e seus efeitos, também. A maconha, por exemplo, pode prejudicar o homem com alterações hormonais e do sêmen, problemas ejaculatórios, diminuição da concentração e motilidade do espermatozoide, perda da libido e impotência.

Segundo Fraietta, na mulher há uma piora no desenvolvimento fetal, se ela estiver grávida. Também ocorrem alterações do ciclo menstrual, supressão do desenvolvimento do óvulo e prejuízo no desenvolvimento do embrião, entre outros problemas.

Terra

Vida e Saúde