Vida e Saúde

Exercícios físicos para combater a prisão de ventre

Atualizado em: 28/05/2015

knorr

Geralmente as mulheres são as que mais sofrem com prisão de ventre. A ingestão exagerada de carboidratos, principalmente no período pré-menstrual, e o consumo pobre de fibras pode provocar a disfunção da flora intestinal, causando desconforto abdominal e sensação de inchaço.

E se por acaso você não sabe, os exercícios físicos podem ser uma boa arma para ajudar a combater o problema.

Aliado a uma boa alimentação que inclui a ingestão de fibras e de muita água, o fim do sedentarismo pode ajudar você a dar adeus a esse incômodo.
Segundo o personal trainer Ricardo Wesley, os exercícios físicos proporcionam movimentos no intestino grosso e mudanças hormonais, que provocam efeitos mecânicos no intestino, o que facilita o peristaltismo, que é o movimento feito pelo intestino para empurrar o bolo alimentar.

Outra boa relação entre exercícios e o fim da prisão de ventre é que atividade física melhora o tônus das musculaturas pélvica e abdominal, o que ajuda no processo. “É possível também que o alto gasto de energia aumente a necessidade de ingestão de calorias, o que pode influenciar na quantidade total de fibra consumida”, explica o personal.

Ricardo conta que as melhores atividades para combater o desconforto intestinal estão relacionadas ao aumento da força abdominal e aumento do gasto energético. Assim se faz necessária uma combinação de exercícios resistidos (musculação e/ou treinamento funcional), para ajudar a trabalhar as musculaturas abdominais superficiais e profundas, e treinamentos cardiovasculares (corridas, bike, natação), para aumentar o gasto energético.

“A frequência dos exercícios varia de acordo com os objetivos do aluno. Caso ele treine apenas para eliminar o problema do intestino preso e manter a saúde, três vezes por semana já estará ótimo”, orienta. A melhora na questão do intestino preso é relativamente rápida. Em poucos dias você perceberá uma melhora.

O tempo de cada sessão de exercícios não deve passar de 60 minutos, sendo que os alunos sedentários devem trabalhar de forma progressiva. “Comece com treinos mais curtos, de 30 minutos, por exemplo”, alerta Ricardo. E não exagere! “Exercícios muito intensos e longos (como maratonas) podem piorar a sensação de desconforto e causar mal estar. Por isso ratifico a importância de se trabalhar de maneira progressiva e constante para atenuar os sintomas.”

O melhor mesmo é usar os exercícios físicos como forma de prevenção e não somente sair do sedentarismo quando os sintomas do intestino preso batem à porta. E não se esqueça de aliar atividade física a uma boa alimentação. “No caso do intestino preso, o consumo de água e de fibras (frutas e alimentos integrais) e uma boa mastigação vão lhe ajudar”, finaliza o personal trainer.

Fonte:  Juliana Falcão (MBPress)

Vida e Saúde