Vida e Saúde

Evite irritar a pele com a depilação durante a gestação

Atualizado em: 28/03/2012

Pele macia e sem pelos durante os 365 dias do ano – esse é o sonho de consumo detoda mulher. Inclusive durante a gestação. Mas,por causa das alterações hormonais desta fase,os cuidados na escolha dos métodos depilatórios devem ser redobrados. Isto porque,além de ficar aindamais sensíveis neste período, as mulheres costumam sofrer inchaços durante a gravidez, e nesta situação, os poros da epiderme ficam abertos e ainda mais expostos, podendo provocar, após a retirada dos pelos, hematomas superficiais,manchas na pele e até contaminação por bactérias.

“Nessa fase de grande estresse para o organismo da mulher, a imunidade cai porque o corpo prioriza o bebê. Portanto, a gestante é mais suscetível a esse tipo de contaminação”, afirma Leila Bloch, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD). Para Jefferson Alfredo de Barros, dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e do Colégio Ibero Latino-americano de Dermatologia (CILAD), o mais importante não é optar pelo método de resultados mais duradouros, mas, sim, pelo menos doloroso. “A mulher fica extremamente sensível e não deve se estressar com complicações desnecessárias.”

Prevenção
Na hora de fazer a depilação, seja em clínicas de estética ou em casa, o importante é priorizar a higiene do corpo, principalmente quando a área a ser depilada é a virilha. As mãos devem estar sempre limpas e a pele pode ser preparada para o método com cremes hidratantes. De acordo com Barros, até uma esfoliação pode ser feita para auxiliar nesse processo. “Uma vez por semana, pelo menos, a região a ser depilada pode ser esfoliada, para facilitar a saída do pelo.”

Após o parto, geralmente a mulher deve esperar até um mês para dar sequência ao tratamento de beleza. “O ginecologista orienta repouso. Normalmente depois da cesariana, deve-se esperar 30 dias para voltar a depilar, por causa do corte. Quando o parto é normal, o retorno à depilação depende da disposição da mulher.” Para ajudar as gestantes na escolha do método que a deixará mais confortável, separamos os procedimentos mais requisitados nos centros de estéticas. Confira:

Cera quente
Por retirar não apenas a parte externa do pelo, mas agir no núcleo do crescimento do folículo piloso, a depilação com cera quente pode proporcionar até 30 dias de pele “lisinha”, dependendo do organismo. Por isso, esse método tem grande aderência do público feminino, inclusive no período gestacional. Mas,deve ser utilizado apenas por mulheres que não sentem nenhum tipo de incômodo ao adotá-lo. Leila explica que as alterações hormonais nessa fase deixam a pele ainda mais propícia à formação de inchaços. “O cuidado com as trações da cera devem ser redobrados, caso contrário o procedimento criará edemas na pele e flacidez.”

Para Juliana Babolin, dona do Espaço Fiori, em São Paulo, é justamente o aumento do zelo que faz a diferença na hora de aplicar o método. “Há clientes que depilam durante toda a gravidez, inclusive antes do dia do parto.”O preço dessas aplicações varia entre R$ 60 (virilha) e pode chegar a R$ 300 (pernas).

Lâminas
Caso a grávida não queira arriscar se expor a um procedimento doloroso, a opção menos traumática, e também menos eficaz contra o crescimento do pelo, fica por conta das lâminas. Barros lembra, porém, que o procedimento pode aumentar a propensão ao aparecimento da foliculite – inflamação dos folículos pilosos. “Pelo inchaço, os poros ficam mais dilatados. Isso facilita a retirada do pelo, mas a pele fica mais sensível. O cuidado com a lâmina deve ser redobrado.” O médico lembra ainda que antes de raspar pernas ou a virilha, é importante lavar bem as mãos, utilizar uma lâmina descartável e toalhas limpas. Quando terminada a etapa, é fundamental hidratar a pele.

Laser
Responsável por eliminar definitivamente até 30% dos pelos a cada sessão, a depilação a laser é a queridinha das mulheres. O mecanismo é simples: quando a luz do laser atinge o pelo, gera uma energia que o destrói. Essa energia é atraída pela melanina do pelo. E justamente por causa dessa atração à melanina, mulheres grávidas não devem se expor aos raios do aparelho. “Quando está grávida, a mulher produz em excesso a melanina, o que pode gerar manchas na pele. Além disso, não há estudos que comprovam a seguridade do procedimento sobre a saúde do feto”, alerta o dermatologista.

Cremes depilatórios
Assim como a lâmina, o creme depilatório corta o pelo superficialmente e pode evitar problemas como corte e infecção. Recomendado para mulheres que sofrem de varizes ou com a pele sensível, o produto químico, porém,deve ser evitado por mulheres grávidas e com reações alérgicas. “Na gestação as mulheres não podem fazer uso de qualquer tipo de medicamento ou químico.” Os preços desses produtos variam e pode custar até R$ 13.

Terra

Vida e Saúde