Vida e Saúde

Enquete: 85% respondem que fariam sexo a três

Atualizado em: 20/06/2013

sexo5

A grande maioria das pessoas que responderam à enquete da semana deseja fazer sexo a três. Embora há quem diga que essa prática é antinatural, desrespeitosa ou animalesca, não podemos negar que o resultado demonstra uma grande mudança na forma de pensar e viver a sexualidade.

Algumas décadas atrás talvez esse percentual não chegasse a 5%, na medida em que a repressão da sexualidade era tanta que muitos não ousariam nem entrar em contato com os próprios desejos. Alguns estudiosos acreditam que daqui a algumas décadas haverá grande variedade de relacionamentos. No futuro as pessoas vão experimentar diferentes maneiras de estar juntas

O sexo com duas mulheres e um homem ou dois homens e uma mulher estão entre as variações preferidas entre os adeptos de sexo em grupo. No primeiro caso, geralmente, as duas mulheres se relacionam entre si, enquanto na representação sexual do segundo caso os dois homens penetram simultaneamente uma mulher ou um de cada vez.

Em histórias e cartas enviadas para revistas pornográficas, o ménage à trois geralmente compreende um casal hétero que se envolve com outro homem ou mulher. A terceira parte geralmente é tratada como um acessório a ser usado mais do que uma parte integral da relação.

Nessa representação limitada o ménage é um evento na vida do casal hétero mais do que uma prática sexual transgressora. Enquanto o ménage é tido como uma opção sexual, a heterossexualidade monogâmica mantém seu lugar dentro do casamento.

Muitos defendem a total falta de compromisso entre as partes e somente o desejo sexual conduzindo as ações. Outros, ao contrário, só veem validade em tal experiência se houver paixão, envolvimento, enlace profundo.

É grande o percentual dos que assumem a bissexualidade. Esses argumentam que o sexo a três é o relacionamento perfeito. Há um forte contingente daqueles que gostariam, mas acham que os parceiros jamais admitiriam. E há também os que só o praticam fora de casa, lamentando ter que recorrer a relações extraconjugais.

De qualquer forma, é importante assinalar que nada no sexo se justifica se não houver desejo de ambas as partes. Em qualquer prática sexual realizada sem vontade, só para agradar o outro, o preço cobrado depois, mesmo inconscientemente, pode ser tão alto que inviabilize a própria relação.

Blog da Regina Navarro Lins

Vida e Saúde