Vida e Saúde

Dormir menos faz pessoa comer mais comida calórica

Atualizado em: 16/03/2012

Dormir menos provoca mais danos ao corpo do que um cansaço posterior. Segundo um novo estudo, quem tem uma hora e 20 minutos a menos de sono desenvolve a a tendência de consumir 549 calorias extras –o equivalente a um lanche de fast-food.

Apesar de apenas 17 pessoas serem incluídas participado da pesquisa, estudos anteriores já indicaram uma relação entre a falta de sono e a obesidade.

As condições analisadas desta última pesquisa englobaram medição de horas dormidas no experimento, alimentos consumidos e atividades físicas.

Mas, entre outros itens, o que chama a atenção é que o hábito alimentar dos que dormiram livremente não mudou, enquanto que o oposto foi verificado no grupo que teve o sono privado.

Estudos anteriores indicam que menos horas de sono afeta o consumo de comida pela redução da produção de um hormônio, a leptina, que inibe o apetite. Ao mesmo tempo, aumenta um outro, a grelina, conhecido também como o “hormônio da fome”.

Neste, organizado por médicos cardiologistas da Mayo Clinic, uma companhia norte-americana de saúde, descobriu-se que o processo é inverso. Os níveis de leptina aumentaram e o de grelina, diminuíram, quando a pessoa dormiu menos.

O autor principal do estudo, Virend Somers, acrescenta: “E quanto mais gordura você tem, mais leptina você produz.”

Para chegar a essa conclusão, os voluntários tiraram três noites de sono em que puderam dormir uma média de seis horas e 30 minutos.

Depois, foram divididos em dois grupos, com nove deles seguindo o modelo-padrão de sono durante oito dias. Os demais reduziram o período para uma média de cinco horas e dez minutos –o mesmo que uma hora e 20 minutos a menos de sono.

Somers lembra que este é um estudo piloto e precisa ser aprofundado. Mas cita: “Muitos jovens passam horas usando a tecnologia, como em websites como o “Facebook”, impedindo-os de ter sono [considerado] suficiente. Isto possui um impacto na obesidade? Talvez sim.”

O estudo foi apresentado nesta semana no encontro da Associação Americana do Coração, em San Diego.