Vida e Saúde

Dormir mal quadriplica risco de infarto e é tão prejudicial quanto fumar, diz estudo

Atualizado em: 19/06/2015

dormir-mal-1

O mal que o tabagismo faz para a saúde é bem conhecido, mas ele não é o único hábito ruim que pode colocar seu corpo em risco. Uma recente pesquisa mostrou que o sono ruim tem o mesmo efeito prejudicial sobre o coração.

A importância do sono para a saúde

De acordo com a National Sleep Foundation, dos Estados Unidos, adultos com idade entre 18 e 64 anos devem dormir de 7 a 9 horas por noite e idosos com mais de 65 anos precisam de 7 a 8 horas de sono.

Esse é o tempo necessário para que o sono realize suas ações restaurativa, de termorregulação, de consolidação da memória e do aprendizado e de descanso. Repousar por períodos menores pode causar problemas como depressão, ansiedade, estresse, além de alterações hormonais e doenças cardiovasculares.

O estudo

A pesquisa foi realizada na Rússia e faz parte de um programa realizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o WHO’s MONICA (World Health Organization’s Multinational Monitoring of Trends and Determinants in Cardiovascular Disease).

Mais de 650 homens com idade entre 25 e 64 anos e sem histórico de AVC ou diabetes foram acompanhados por 14 anos. O sono dos participantes foi avaliado através da escala Jenkins Sleep Scale e foi constatado distúrbio do sono quando o resultado da avaliação era muito ruim, ruim ou insatisfatório.

Ao final do período, os pesquisadores notaram que:

– 63% dos participantes que tiveram infarto tinham distúrbio do sono;

– Homens com distúrbio do sono apresentaram risco de 1,5 a 4 vezes maior de ter um infarto e de 2 a 2,6 maior de ter um AVC quando comparados com pessoas com boa qualidade de sono.

Fonte: Da Redação com Bolsa de Mulher

Vida e Saúde