Vida e Saúde

Conheça os benefícios do ciclismo e saiba o quanto pode contribuir para sua saúde e satisfação pessoal

Atualizado em: 07/08/2015

1106_caloriasdosexercicios_f_033

Movimentar-se é uma das melhores maneiras de afastar para bem longe uma série de doenças. E se a sua desculpa para não realizar exercícios é o fato de não gostar dos ambientes fechados das academias ou não ter tempo e nem dinheiro, a sugestão é pedalar!

Está clinicamente comprovado que o ciclismo é uma das atividades mais completas e universais quando comparada com outros exercícios. Além de fortalecer os membros inferiores e promover um treinamento aeróbio, a prática tem sido utilizada para prevenir dores nas costas, proteger as articulações e melhorar o sistema circulatório e imunológico, assim como manter a saúde psíquica.

O coração é um dos órgãos que mais se beneficia com a prática do ciclismo. De acordo com Eduardo Fávero, angiologista e cirurgião vascular, por promover contrações repetidas dos músculos das pernas, sobretudo das panturrilhas, o ato de pedalar beneficia de maneira bastante eficaz a circulação sanguínea.

Outra vantagem da atividade, de acordo com o médico, é que ela pode ser feita desde uma intensidade leve, para quem está sem condicionamento físico, até uma alta intensidade, para aqueles que são bem condicionados. Além disso, o esporte pode ser praticado com o objetivo de emagrecimento para os que estão muito acima do peso e não podem sobrecarregar as articulações com exercícios de maior impacto como, por exemplo, caminhada e corrida.

Porém, antes de iniciar qualquer tipo de atividade física, ele alerta que é recomendado procurar um médico. “De acordo com a idade e a situação física do
paciente pode ser necessária desde uma simples avaliação médica, com exame físico, até uma avaliação cardiológica com exames complementares, como eco cardiograma ou teste de esforço”, explica. Se detectado severo déficit de função cardíaca, a atividade não poderá ser realizada.

Frequência ideal

A fisioterapeuta da clínica Gastro Obeso Center, em São Paulo, Juliana Franzotti, explica que o movimento de empurrar os pedais da bicicleta trabalha também o quadríceps – músculo da coxa – e os glúteos. “O ciclismo promove a força muscular e tônus na parte inferior do corpo, especialmente nas pernas”, ressalta.

Para saber a frequência ideal, Juliana Franzotti aponta que é necessário fazer uma série de avaliações para se chegar a uma resposta correta. Primeiramente, é preciso avaliar se a atividade vai se encaixar no contexto recreacional, de saúde ou profissional. E o objetivo? Será o de emagrecer, sair do sedentarismo, reabilitação ou treinamento?

Porém, a fisioterapeuta explica que andar de bicicleta pelo menos meia hora por dia já faz toda a diferença. Para aqueles que incluírem a bicicleta nas atividades do cotidiano ou simplesmente pedalam todos os dias, os benefícios serão ainda maiores. “Certamente as pessoas que andam diariamente de bicicleta desfrutam de mais benefícios para saúde do que quem pratica o esporte somente nos finais de semana”, frisa.

Fonte: Revista Abrasel, Lula.

Vida e Saúde