Vida e Saúde

Como prevenir e tratar gripes e resfriados

Atualizado em: 14/10/2014

gripes e resfriados

Em determinados períodos do ano, os casos de gripes e resfriados se tornam mais frequentes e, embora sejam doenças bem conhecidas da maior parte da população, ainda existem muitas dúvidas quanto ao diagnóstico e tratamento desses problemas. Mesmo se tratando de enfermidades na maioria das vezes simples, o acompanhamento médico é muito importante, tanto para evitar complicações quanto para reduzir o ciclo de contágio.

Diferenciação
Segundo o médico João Batista Everton Júnior, clínico geral do Hapvida, “só um profissional de saúde poderá fazer essa distinção e prescrever o tratamento adequado. Porém, uma das diferenças mais comuns é o tempo de permanência da doença. O resfriado, geralmente, não dura mais que três dias e o desconforto é menor. Já a gripe dura em torno de sete dias, com sintomas mais severos”. Um dos sinais de alerta para a gripe é a febre persistente e prolongada, acima de 39 graus Celsius.

Tratamento
O clínico explica que não há tratamento específico para as viroses, mas existem medidas para a preservação das funções vitais do paciente, evitando que o quadro clínico evolua para situações mais graves. Essas medidas só podem ser decididas após a avaliação com um médico. Além de seguir a prescrição médica, em casa, o paciente deve ingerir bastante líquido (de preferência água e sucos naturais), de dois a três litros por dia. Alimentação de fácil digestão, como frutas e verduras, também é importante para a fase de recuperação.

Prevenção
Os cuidados que podem ser adotados para reduzir as chances de contaminação ou transmissão para outras pessoas são: lavar as mãos com água e sabão (principalmente depois de usar o banheiro); evitar tocar olhos, nariz ou boca após contato com superfícies onde há aglomeração; usar lenço ao tossir e espirrar. O paciente deve evitar sair de casa enquanto estiver em período de transmissão da doença (até cinco dias após o início dos sintomas), e ambientes fechados, onde circulam muitas pessoas.

Fonte: Melissa Paulino

Vida e Saúde