Vida e Saúde

Começa 2ª etapa da ação da Força Nacional do SUS no RS

Atualizado em: 01/02/2013

sus

 O Ministério da Saúde apresentou, nesta quinta-feira (31), a segunda etapa do plano de atendimento a familiares e vitimas do incêndio ocorrido no último domingo (27), na boate Kiss, em Santa Maria (RS).  O plano abrange ações que estão sendo implantadas de imediato, com duração até 18 de fevereiro, além da criação de um novo gabinete de crise da Força Nacional do SUS em Porto Alegre. Este gabinete irá trabalhar em parceria com o outro já foi instalado em Santa Maria.

Além do acompanhamento permanente aos 127 pacientes internados nos hospitais em Santa Maria, Porto Alegre, Canoas, Caxias do Sul e Ijuí com realização diária de videoconferências médicas para análise da evolução dos casos, o Ministério da Saúde manterá o reforço à rede de saúde mental nas duas cidades.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha disse que “o que há de mais moderno no país está à disposição dos internados em Porto Alegre e Santa Maria, por isso as videoconferências são importantes para a troca de conhecimento e manuseio de tecnologias”, completa.

Até 18 de fevereiro, o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de Santa Maria permanecerá funcionando 24h/dia. Também seguem em funcionamento os núcleos de acolhimento aos familiares em todos os hospitais onde há pacientes internados. E após esta data será feita uma nova avaliação para definir a continuidade dos serviços.

Durante essa segunda etapa, o Ministério da Saúde, a Secretaria Estadual de Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde farão contato periódico com os familiares das vítimas, em Santa Maria, Porto Alegre e outros municípios. Ao todo, 120 profissionais de saúde mental estão trabalhando nesse atendimento.

E após esta data será feita uma nova avaliação para definir a continuidade dos serviços.

No momento, há 45 leitos de UTI disponíveis para receber vítimas que voltem a procurar os serviços de saúde. Outras 16 vagas estão sendo criadas preventivamente.

Parceria

Uma equipe da Universidade de Toronto (Canadá) chega ao Brasil no sábado (2) para avaliar pacientes e iniciar a aplicação da técnica de ventilação extracorpórea nos pacientes internados, que ajuda a promover uma recuperação pulmonar mais rápida. A Universidade de Toronto é o maior centro de referência na técnica na América.

“Faremos tudo o que for necessário para salvar vidas. A disposição desta equipe canadense em vir ao Brasil para contribuir e compartilhar o conhecimento na técnica inovadora, conhecida como oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO),e que poderá ajudar os pacientes que estão em situação crítica, mostra a solidariedade das pessoas com as vítimas do incêndio em Santa Maria”, completa.

A equipe será comandada pelo médico Marcelo Cypel, diretor do programa de suporte pulmonar extracorpóreo da Universidade. O médico chegará ao País acompanhado de um médico, um perfusionista e um enfermeiro, todos altamente especializados. Os equipamentos necessários para a técnica já estão disponíveis no Rio Grande do Sul.

Primeira Etapa

A Força Nacional do SUS conta hoje 66 voluntários entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos e psiquiatras. Em Santa Maria estão profissionais de São Paulo, Campinas, Sergipe, Fortaleza, Pernambuco, Minas, Porto Alegre, Curitiba, DF e do próprio Ministério da Saúde.

O Ministério da Saúde enviou ao Estado 22 respiradores, sete ambulâncias de UTI do SAMU, 30 ventiladores e 30 oxímetros de pulso e 15 monitores;

E, desde domingo (27), 577 pacientes foram atendidos em Santa Maria e 374 receberam alta; Até o momento, 127 pacientes permanecem internados, sendo 71 ainda em ventilação mecânica, em estado crítico.

Também foram disponibilizados 120 profissionais entre psicólogos e psiquiatras foram mobilizados para atendimento a vítimas e familiares. Esses profissionais realizaram 60 atendimentos e visitas domiciliares de saúde mental desde a última segunda-feira (28).

Transplantes

Os três bancos de pele autorizados: São Paulo, Pernambuco e Rio Grande do Sul estão aptos a atender a demanda no momento que houver necessidade. O Brasil conta, ainda, com 11 estabelecimentos autorizados para transplante de pele no Brasil, como: Hospital João XXIII (MG), IMIP (PE), Hospital Universitário do Norte do Paraná (PR), Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre e Hospital de Pronto Socorro (RS), Hospital Universitário da Universidade de Santa Catarina e Hospital Municipal São Jorge (SC); Fundação de Apoio ao Ensino e Pesquisa e Assistência (FAEPA), Fundação Amaral Carvalho, Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Limeira e Fundação Faculdade de Medicina (SP).

Apesar de não haver nenhuma indicação de transplante de pele este momento, a quantidade disponível no Brasil é suficiente para atender a todos os pacientes internados. Não há indicação de nenhum transplante nesse momento. A prioridade é manter os pacientes estáveis. Brasil recebeu, desde a tragédia em Santa Maria, doações de bancos de pele na Argentina, Chile e Uruguai.

Assessoria

Vida e Saúde