Vida e Saúde

Cinco razões para não combinar cirurgia plástica e álcool

Atualizado em: 29/06/2015

beber

É por isso que uma das recomendações mais comuns antes de se submeter a uma operação deste tipo é a abstenção de bebidas alcoólicas. O seu consumo deve ser suspenso um mês antes do procedimento para evitar que estas substâncias afetem o organismo depois da plástica.

O médico cirurgião plástico Fábio Malzone (CRM: 63974), explica que ao ingerir a bebida alcoólica o organismo precisa se desdobrar para metabolizar e absorver o álcool, o que sobrecarrega todos os órgãos envolvidos nesse processo.

“Na medicina, qualquer procedimento implica em risco, por isso bom senso, cautela e informação são essenciais para aumentar as chances de obter resultados satisfatórios. Portanto, antes de se submeter a qualquer cirurgia o paciente deve esclarecer todas as suas dúvidas com o médico e ser informada sobre os cuidados no pré e pós operatórios a fim de evitar possíveis complicações”, esclarece.

Uma das principais regras a ser seguida para o sucesso de uma cirurgia é atentar-se ao pré-operatório. O paciente deve realizar todas as avaliações e exames laboratoriais e outros exames, com o objetivo de evitar surpresas desagradáveis, durante ou após a cirurgia.

“Durante essa fase e no pós-operatório, é importante seguir a orientação de restringir não só o consumo de bebidas alcoólicas, como também de cigarro e medicamentos que possam comprometer a cirurgia, assim como o uso de drogas”, diz o médico. Para alertar sobre o perigo das bebidas alcoólicas em relação à cirurgia, o cirurgião plástico Fábio Malzone lista as cinco principais complicações provocadas pelo consumo de álcool:

1. Aumento do inchaço: Após a cirurgia, é preciso seguir todas as recomendações médicas para que não ocorram complicações no pós-operatório. Segundo o médico, o consumo de álcool tende a comprometer o resultado porque alarga os vasos sanguíneos e provoca inchaço. “No caso de cirurgias de rinoplastia, por exemplo, os pacientes devem ter cuidado redobrado devido ao nariz ser mais suscetível ao inchaço”, alerta.

2. Sangramento: Normalmente, as cirurgias invasivas necessitam respeitar o período de recuperação. “O paciente que não cumpre as ordens médicas e consome bebidas alcoólicas no pós-operatório corre risco de ter sangramento e uma recuperação prolongada”, garante Fábio.

3. Suscetibilidade à dor: Em alguns casos, os médicos podem receitar medicamentos para aliviar a dor durante a recuperação. De acordo com o cirurgião plástico, porém, alguns pacientes evitam esses remédios por acreditar que somente o álcool pode diminuir a dor no pós-operatório. Claro, isso não é verdade.

4. Bebida alcoólica pode fazer com que um medicamento torne-se perigoso: Os efeitos do álcool são prejudiciais ao organismo. O cirurgião alerta que o paciente não deve misturar bebidas alcoólicas com remédios e, sim, priorizar a recomendação médica.

5. Desidratação da pele: O álcool faz com que a pessoa urine mais vezes, essa reação pode provocar desidratação e pele seca, além de comprometer os resultados da cirurgia. “Por isso, muitos médicos recomendam ao paciente não consumir bebidas alcoólicas durante duas semanas antecedentes e posteriores a uma cirurgia”, afirma Malzone. Lembrando que este prazo pode variar de acordo com cada procedimento.

Fonte: Da Redação com O Debate

Vida e Saúde