Café ou água não aceleram a eliminação do álcool no sangue

Estrelas que passaram pelo tapete vermelho do Oscar
25 de fevereiro de 2013
‘Quem disse, berenice’ lança coleção Desobediente
25 de fevereiro de 2013

Café ou água não aceleram a eliminação do álcool no sangue

 Ao contrário do que muitos pensam, banho gelado, café e horas de sono não aceleram a metabolização do álcool, conforme garante o psiquiatra Dr. Ronaldo Laranjeiras, professor titular da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e diretor da Uniad (Unidade de Pesquisa em Álcool e Outras Drogas).

— Esses métodos não funcionam, assim como não há medicamentos que contribuam para acelerar o processo de eliminação da bebida alcoólica no organismo.

Como a fórmula álcool e direção não combina, a Lei Seca se tornou mais rígida e não tolera nenhuma gota de bebida. Caso o motorista da vez burle a regra, o dr. Laranjeira explica que a cada dose consumida o indivíduo deverá esperar uma hora para que o fígado consiga metabolizar a bebida.

— Se a pessoa ingerir cinco copos de cerveja, a metabolização total do álcool será de cinco horas. Se a ingestão for de 12 copos, a espera deve ser de 12 horas.

Como a absorção e metabolização do álcool sofrem alterações, pois há interferência do sexo do indivíduo, peso, genética e ingestão de alimentos, a orientação do especialista é deixar a bebida alcóolica de lado e optar pelo refrigerante, suco ou água.

— A eliminação do álcool da corrente sanguínea demora mais na mulher, pois este é absorvido com mais rapidez. Além disso, por possuir mais gordura no corpo, comparado ao homem, a metabolização da bebida alcoólica é mais lenta.

Bebida alcoólica é responsável por 21% dos acidentes de trânsito atendidos pelo SUS

No caso de bombom de licor e enxaguante bucal, o médico garante que isso não interfere no grau de alcoolismo do motorista, mas pode ser acusado no bafômetro. Segundo o Departamento de Polícia Rodoviária Federal, quando isso acontecer o condutor deve avisar a autoridade sobre o ocorrido. Assim, será realizada uma limpeza bucal com água e após 15 minutos o teste do bafômetro poderá ser refeito.

Mitos e verdades

Quando o álcool é ingerido em grandes quantidades, o corpo sofre desidratação. O melhor modo de amenizar esse sintoma e evitar a ressaca é beber bastante água, avisa a gastroenterologista Dra. Débora Dourado, do Hospital São Luiz.

— Neste caso, manter-se hidratado é importante. Mas vale ressaltar que a água não ajuda na eliminação da bebida no sangue.

Remédio usado para "enganar" o bafômetro é vendido sem receita

Outros fatores como a velocidade com que se consome a bebida alcoólica e a alimentação interferem na eliminação do álcool.

— Se a pessoa beber com rapidez e em grandes quantidades, a metabolização se torna mais lenta. E quando o estômago estiver cheio, a absorção do álcool será mais difícil, diminuindo sua quantidade na corrente sanguínea.

Riscos

Quem bebe e dirige corre o risco de sofrer graves acidentes no trânsito. Isso se deve ao fato de que o álcool causa a diminuição dos reflexos, perda da memória e falta de coordenação motora, levando o condutor a fic

Ao contrário do que muitos pensam, banho gelado, café e horas de sono não aceleram a metabolização do álcool, conforme garante o psiquiatra Dr. Ronaldo Laranjeiras, professor titular da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e diretor da Uniad (Unidade de Pesquisa em Álcool e Outras Drogas).

— Esses métodos não funcionam, assim como não há medicamentos que contribuam para acelerar o processo de eliminação da bebida alcoólica no organismo.

Como a fórmula álcool e direção não combina, a Lei Seca se tornou mais rígida e não tolera nenhuma gota de bebida. Caso o motorista da vez burle a regra, o dr. Laranjeira explica que a cada dose consumida o indivíduo deverá esperar uma hora para que o fígado consiga metabolizar a bebida.

— Se a pessoa ingerir cinco copos de cerveja, a metabolização total do álcool será de cinco horas. Se a ingestão for de 12 copos, a espera deve ser de 12 horas.

Como a absorção e metabolização do álcool sofrem alterações, pois há interferência do sexo do indivíduo, peso, genética e ingestão de alimentos, a orientação do especialista é deixar a bebida alcóolica de lado e optar pelo refrigerante, suco ou água.

— A eliminação do álcool da corrente sanguínea demora mais na mulher, pois este é absorvido com mais rapidez. Além disso, por possuir mais gordura no corpo, comparado ao homem, a metabolização da bebida alcoólica é mais lenta.

Bebida alcoólica é responsável por 21% dos acidentes de trânsito atendidos pelo SUS

No caso de bombom de licor e enxaguante bucal, o médico garante que isso não interfere no grau de alcoolismo do motorista, mas pode ser acusado no bafômetro. Segundo o Departamento de Polícia Rodoviária Federal, quando isso acontecer o condutor deve avisar a autoridade sobre o ocorrido. Assim, será realizada uma limpeza bucal com água e após 15 minutos o teste do bafômetro poderá ser refeito.

Mitos e verdades

Quando o álcool é ingerido em grandes quantidades, o corpo sofre desidratação. O melhor modo de amenizar esse sintoma e evitar a ressaca é beber bastante água, avisa a gastroenterologista Dra. Débora Dourado, do Hospital São Luiz.

— Neste caso, manter-se hidratado é importante. Mas vale ressaltar que a água não ajuda na eliminação da bebida no sangue.

Remédio usado para "enganar" o bafômetro é vendido sem receita

Outros fatores como a velocidade com que se consome a bebida alcoólica e a alimentação interferem na eliminação do álcool.

— Se a pessoa beber com rapidez e em grandes quantidades, a metabolização se torna mais lenta. E quando o estômago estiver cheio, a absorção do álcool será mais difícil, diminuindo sua quantidade na corrente sanguínea.

Riscos

Quem bebe e dirige corre o risco de sofrer graves acidentes no trânsito. Isso se deve ao fato de que o álcool causa a diminuição dos reflexos, perda da memória e falta de coordenação motora, levando o condutor a ficar embriagado e desatento.

O consumo excessivo de bebidas alcoólicas também desenvolve sérios problemas em alguns órgãos, explica dr. Laranjeiras.

— A pessoa pode sofrer danos cerebrais, cirrose, hipertensão, arritmia, entre outros problemas cardiovasculares.

R7

Dani Rabelo
Jornalista do WSCOM Online, sócia e editora-chefe do Portal Mulher de Fato, cantora nas horas vagas, tagarela, observadora, carioca da gema e pessoense de coração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *