Vida e Saúde

Bebida + fumo: ‘Envelhecimento precoce’ do cérebro

Atualizado em: 28/05/2015

fumar

O consumo de bebida e o fumo em excesso causam envelhecimento precoce do cérebro, de acordo com estudo de pesquisadores da Universidade da Califórnia em San Francisco, nos EUA.

Os resultados mostram que os indivíduos dependentes de álcool que fumam apresentam mais problemas com a memória, capacidade de pensar com rapidez e eficiência e habilidades de resolução de problemas do que aqueles que não fumam. Segundo os pesquisadores, os efeitos parecem se tornarem agravados com a idade.

O líder da pesquisa, Timothy C. Durazzo e seus colegas compararam o funcionamento neurocognitivo de quatro grupos de participantes, todos com idades entre 26 e 71 anos. Os participantes foram divididos entre indivíduos saudáveis que nunca fumaram ou “controles” (n = 39); e indivíduos viciados em álcool em tratamento de abstinência por um mês que nunca foram fumantes (n = 30); ex-fumantes (n = 21) e fumantes (n = 68).

As habilidades cognitivas avaliadas incluíram eficiência cognitiva, funções executivas, habilidades motoras finas, inteligência geral, aprendizagem e memória, velocidade de processamento, funções visuo-espaciais e memória de trabalho.

“Descobrimos que, em um mês de abstinência, indivíduos dependentes de álcool que fumavam tiveram efeitos do envelhecimento maiores que o normal sobre as medidas de aprendizagem, memória, velocidade de processamento, raciocínio e resolução de problemas e habilidades motoras finas”, afirma Durazzo.

Indivíduos viciados em álcool que nunca fumaram e aqueles que eram ex-fumantes apresentaram mudanças equivalentes ao aumento da idade em todas as medidas, como os controles não fumantes.

Segundo os pesquisadores, estes resultados indicam que a combinação de dependência de álcool e tabagismo crônico ativo foi relacionada a uma diminuição anormal de várias funções cognitivas com a idade.

“Os dados indicam que os efeitos combinados dessas drogas são especialmente prejudiciais e tornam-se ainda mais evidentes com o avanço da idade. Em geral, as pessoas mostram declínio cognitivo em idade mais avançada. No entanto, parece que os anos de vício em álcool combinado com uso do cigarro agravam este processo, contribuindo para um declínio ainda maior em habilidades de pensamento em anos posteriores”, conclui a pesquisadora Alecia Dager, da Universidade de Yale, nos EUA.

Fonte: iSaúde (morgueFile free photo)

Vida e Saúde