Vida e Saúde

Atenção: IMC elevado traz riscos às mulheres

Atualizado em: 12/03/2013

SAUDE

Estudo realizado na Dinamarca mostrou que mulheres em jovens com índice de massa corporal (IMC) elevado estão em maior risco para ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral (AVC).

Pesquisadores da Universidade de Copenhague explicam que, embora eventos cardíacos sejam raros entre mulheres jovens, existe uma ligação clara e forte entre essas doenças e o excesso de peso. Essa relação permanece inalterada diante de fatores como complicações relacionadas à gravidez e outros fatores de risco cardiovasculares, como o tabagismo.

Mulheres com IMC considerado acima do ideal são até duas vezes mais propensas a sofrer um ataque cardíaco potencialmente fatal ou um acidente vascular cerebral quatro ou cinco anos após o parto do que aquelas com peso normal.

De acordo com a pesquisadora responsável pelo estudo, Dra. Michelle Schmiegelow, as mulheres jovens precisam estar cientes de que existem sérios riscos para a saúde relacionados ao excesso de peso, obesidade e hábitos de vida pouco saudáveis. Além disso, a pesquisadora ressalta a importância do estudo, uma vez que, embora a incidência de doença cardíaca esteja em declínio no mundo, essa tendência parece não se aplicar entre as mulheres de 35 a 44 anos, grupo no qual a doença arterial coronariana parece estar em crescimento.

Para realização do estudo, os pesquisadores utilizaram dados que mostravam o peso, a idade e a altura de 273.101 mulheres e os relacionaram ao histórico de ataque cardíaco e AVC. Todas as mulheres haviam dado a luz entre 2004 e 2009, sendo que a média de idade foi de 30,5 anos e sem histórico de doença cardíaca, AVC ou problemas renais. O número absoluto de eventos cardíacos foram baixos. Durante os 4,3 ± 1,7 anos de seguimento, 68 mulheres tiveram um ataque do coração e 175 tiveram um acidente vascular cerebral isquêmico.

O estudo será apresentado no American College of Cardiology Scientific Session, que ocorre de 9 a 11 de março em San Franscico, nos Estados Unidos.

Boa Saúde

Vida e Saúde