Aspirina reduz risco de derrame em mulheres que consomem fritura

Banco de Leite Anita Cabral vai orientar detentas do presídio feminino
4 de março de 2012
Ministra ganha eleição e será a primeira mulher a comandar o TSE
7 de março de 2012

Aspirina reduz risco de derrame em mulheres que consomem fritura

Um estudo americano sugere que mulheres de idade avançada que consomem frituras e produtos panificados em quantidades ex

Um estudo americano sugere que mulheres de idade avançada que consomem frituras e produtos panificados em quantidades exageradas apresentam maior probabilidade de derrame. A mesma pesquisa também cita que a aspirina pode reverter esses riscos.

Para chegar a esse resultado, pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte acompanharam os hábitos alimentares de 87.025 mulheres saudáveis na pós-menopausa, com idade entre 50 e 79 anos. Este é, em termos quantitativos, um dos mais abrangentes estudos do gênero.

As mulheres que seguiam dietas ricas em gordura trans (típica nas frituras), com a ingestão de pelo menos 6,1 gramas diários, tiveram 39% de aumento na incidência de derrame devido ao entupimento de suas artérias se comparado àquelas que comiam o equivalente a 2,2 gramas.

Os efeitos negativos de se seguir uma dieta com muita gordura trans, porém, puderam ser revertidos com a aspirina, disse a pesquisadora principal, Ka He, da Escola de Saúde Pública UNSC.

O derrame é a quarta causa de mortes nos Estados Unidos, afetando aproximadamente 800 mil cidadãos daquele país.

Segundo a pesquisadora, encorajar uma dieta balanceada, que evite a gordura trans e inclua óleos saudáveis e atividades físicas diárias, pode ser um grande passo na prevenção ao derrame e outras doenças relacionadas ao estilo de vida da pessoa.

 Folha Online

Denise Lemos
Diretora Executiva do Portal Mulher de Fato, CEO Up Branding Marketing Digital, CEO Startup 28Dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *