Vida e Saúde

Apenas 2% dos brasileiros doam sangue regularmente

Atualizado em: 14/06/2012

Uma atitude que pode salvar milhares de vidas e que não afeta a saúde do indivíduo doador. No próximo dia 14 é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue. Este simples gesto ajuda em casos de mulheres com complicações durante a gestação, pessoas que sofreram traumas e acidentes, indivíduos portadores de doenças como o câncer e tantas outras.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, OMS, 92 milhões de doações de sangue são registradas anualmente em todo o mundo. Esta data foi criada pela OMS com o objetivo de reconhecer o papel destes doadores na vida de pessoas que dependem de transfusões. No Brasil, somente 1,9% da população doa sangue regularmente.

A estudante Larissa Cardoso, 20 anos, faz parte desta estatística. “É muito significativo. Ajuda a salvar vidas e é um gesto de amor ao próximo”. A conscientização é fundamental para que este número cresça e mais pessoas possam ser amparadas.

O sangue coletado pode beneficiar mais de um paciente e é distribuído para os hospitais e outros órgãos para atender as ocorrências de emergência e pacientes internados. “É recolhido 400 ml e separado em diferentes componentes, por exemplo, plaquetas, hemácias e o plasma (rico em proteínas). Ainda não existe nada comprovado pela medicina que substitua o sangue humano. Esta doação pode ajudar até quatro pacientes”, afirma Selma Soriano, médica hematologista e hemoterapeuta da Fundação Pró-Sangue Hemocentro de São Paulo.

Segundo a médica, a doação de sangue simboliza fraternidade, pois “doar um tecido do seu corpo sem ganhos diretos ou indiretos é um ato de solidariedade”. Para realizar a ação, basta o doador estar com boa saúde, apresentar um documento de identidade emitido por um órgão de segurança pública e estar dentro das indicações citadas abaixo.

Algumas recomendações são necessárias para a doação:

– Ter entre 16 e 67 anos

– Pesar mais de 50 quilos

– Não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes

– Evitar fumar antes da doação

– Evitar alimentos gordurosos por pelo menos três horas antes

Existem também pessoas que não podem doar:

– Gestantes ou em período de amamentação

– Usuários de drogas ilícitas injetáveis

– Pessoas diagnosticadas com hepatite após os 10 anos de idade

– Indivíduos expostos a doenças transmissíveis pelo sangue como sífilis, doença de chagas e Aids

A coleta de sangue pode ser feita em postos fixos dos hemocentros e em alguns hospitais. Segundo o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde, CNES, atualmente existem 1750 unidades em todo o Brasil, incluindo laboratórios e bancos de sangue.

Saúde em Pauta

Veja mais:

Hemocentro da Paraíba comemora Dia Mundial do Doador de Sangue

Vida e Saúde