Vida e Saúde

Anvisa: Suspensão de venda não deve causar falta de próteses de silicone no Brasil

Atualizado em: 28/03/2012

Na última semana, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu a importação de próteses de silicone e a venda de implantes fabricados no Brasil. A determinação começou a vigorar no dia 22 de março, porém as próteses que já foram adquiridas pelos médicos antes dessa data, ou as que foram fabricadas até o dia 21 de março poderão ser utilizadas.

A medida foi adotada para que o Inmetro realize testes nas próteses comercializadas no Brasil, nacionais e importadas, e a liberação será dada através da concessão de um selo. Ainda não existe data para o início dos testes, porém o Inmetro informou que serão publicados até o dia 31 de março, no Diário Oficial da União, os requisitos de avaliação da conformidade para implantes mamários, com base no regulamento estabelecido pela Anvisa.

Atualmente no Brasil circulam mais de vinte marcas de implantes mamários. Entre as empresas que possuem uma longa reputação e aprovação mundial pela qualidade do seu produto, existem outras que chegaram no país que possuem procedência duvidosa. Para comercializar no Brasil era necessária apenas a aprovação da Anvisa, no entanto, nenhum teste era realizado em solo brasileiro, sendo apresentados apenas resultados de testes realizados nos países de origem.

Para o cirurgião plástico paraibano Thiago Cavalcanti, essa medida da Anvisa só trará benefícios para os pacientes e para os médicos: “É importante que haja um parâmetro de qualidade dos implantes que são utilizados no Brasil”. Ele destacou ainda que nos Estados Unidos os implantes foram submetidos a vários estudos científicos e apenas após longos anos aconteceu a aprovação por parte da Food and Drug Admnistration, o órgão regulador daquele país.

Falta de próteses no mercado

Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), Thiago Cavalcanti informou que a entidade entrou em contato com o Inmetro para ter uma previsão de quando a regulamentação será concluída, temendo uma possível falta de implantes no mercado brasileiro. “De acordo com a SBCP, o Inmetro comprometeu-se em finalizar o processo em até um mês”

Baseado nesse prazo, o cirurgião plástico revelou que particularmente está tranqüilo, pois possui próteses suficientes para realizar procedimentos até o mês de junho. “Além do estoque que cada profissional tem, as empresas também estão com implantes que irão suprir o mercado nos próximos meses. As pacientes que já estão com cirurgias marcadas ou planejadas podem ficar tranqüilas. É importante enfatizar que essa medida é para garantir a saúde das pessoas e deve receber o apoio da população e dos profissionais”, finalizou.

Da redação

Vida e Saúde