Anemia atinge 30% da população mundial

Pintas no corpo exigem constante avaliação
14 de maio de 2012
Empreendedora brasileira formada pelo MIT lança livro gratuito na internet
16 de maio de 2012

Anemia atinge 30% da população mundial

Falta de apetite e dificuldades de aprendizado são alguns dos principais sintomas da anemia, doença que atinge 30% da po

Falta de apetite e dificuldades de aprendizado são alguns dos principais sintomas da anemia, doença que atinge 30% da população mundial, segundo a Organização Mundial da Saúde, OMS. Dentre as diversas causas, a por deficiência de ferro é a mais prevalente em todo o mundo, e as estimativas apontam que 90% dos casos de anemia são por carência deste nutriente.

Em algumas fases da vida, a demanda por alimentos ricos em ferro é primordial para a produção da hemoglobina, sendo sua principal função “o transporte de oxigênio dos pulmões para o conjunto de células”, segundo Natália Pellegrino Paulino, nutricionista do hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo.

A doença não atinge somente as pessoas que estão acima do peso, uma vez que indivíduos magros também podem desenvolvê-la. Entretanto, os que se encontram fora do peso ideal são mais suscetíveis a anemia por possuírem, em muitos casos, uma alimentação pobre em vitaminas e minerais.

Os sintomas clínicos surgem a longo prazo e incluem fadiga e falta de disposição para o trabalho. Em crianças, a dificuldade de aprendizagem, a anorexia, ou seja, a falta de apetite, assim como a palidez da pele e as unhas finas e achatadas são alguns dos indícios da patologia.

O diagnóstico é feito baseado em avaliações clínicas e exames laboratoriais. De acordo com a especialista, o tratamento é realizado por meio da administração de sais de ferro, preferencialmente por via oral e acompanhada de uma fonte de vitamina C. “Em médio prazo, o uso de alimentos enriquecidos com ferro e o consumo de uma dieta equilibrada serão suficientes para prevenir uma deficiência”, ressalta a nutricionista.

Doença na infância e complicações na gestação

Em crianças, a anemia pode causar retardo do crescimento e perda significativa na capacidade cognitiva, comprometendo o desenvolvimento da inteligência e as funções imunológicas. Segundo Natália Pellegrino Paulino, a doença pode ocasionar complicações, principalmente em mulheres grávidas. “Na gestação, a anemia ferropriva, isto é, por deficiência de ferro, está relacionada com maior risco de mortalidade materna, parto prematuro e baixo peso da criança ao nascer”. E completa: “recomenda-se um suplemento medicamentoso de ferro durante o segundo e o terceiro trimestre da gestação”.

Estatísticas

Segundo dados do Ministério da Saúde, as regiões Nordeste e Sudeste concentram os maiores índices de pessoas que sofrem de anemia no Brasil. Na região Sudeste, a porcentagem de mulheres entre 15 e 49 anos anêmicas chega a 28,5% e a de meninos e meninas com até cinco anos a 22,6%. Estas taxas estão acima da média nacional: 20,9% entre as crianças e 29,4% nas mulheres pesquisadas.

Saúde em pauta

Denise Lemos
Diretora Executiva do Portal Mulher de Fato, CEO Up Branding Marketing Digital, CEO Startup 28Dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *