Vida e Saúde

Andador pode prejudicar o desenvolvimento do bebê

Atualizado em: 05/09/2012

andador

Centro de muitas polêmicas sobre seus benefícios e malefícios, o andador infantil se tornou pauta importante para os especialistas da medicina e também para as mães, sempre muito preocupadas com a segurança de seus filhos.

Em cores diversas e sempre com muitos “apetrechos” para atrair a criançada, os andadores se sustentam em pequenas rodinhas que giram em função do esforço da criança de se locomover para frente ou para trás.

Este processo é perigoso, pois o andador pode alcançar uma velocidade de 1m/s e, muitas vezes, dependendo da distância que as crianças estão, os pais não conseguem frear o brinquedo quando eles estão próximos a escadas ou degraus. A primeira parte do corpo a ser projetada para frente é a cabeça da criança, daí o risco!

“A criança pode virar o andador quando apóia os pés no chão e impulsiona o corpo para trás, e bater a cabeça no chão ou na parede; a criança pode apoiar os pés no chão de maneira inadequada, dobrando o dorso dos pés para trás, ao estar no andador por muito tempo as pernas ficam abertas e rodadas para fora, o que pode levar a problemas na região onde a cabeça do fêmur (osso da coxa) se encaixa no quadril”, alerta a presidente do Departamento de Segurança da Criança e do Adolescente da Sociedade Brasileira de Pediatria, Renata Waksman.

Devido ao grande número de acidentes graves envolvendo crianças e andador, o Canadá proibiu sua venda em 2004. “Existe um movimento muito intenso na Europa e nos Estados Unidos visando implantar uma lei semelhante à do Canadá, uma vez que todas as estratégias educativas têm falhado na prevenção dos traumatismos por andadores” complementa Renata Waksman.

Os pais pensam que colocando seus filhos dentro do andador, o estímulo a marcha será maior. Mas isso é um grande engano, explica a pediatra “O andador pode atrasar o desenvolvimento psicomotor da criança, uma vez que ela, ao ficar contida neste equipamento, engatinha menos, podendo levar mais tempo para ficar de pé e andar sem apoio”

Renata Waksman explica alguns mitos do andador infantil:

– O andador dá mais segurança às crianças (evitando quedas)- na verdade ocasiona mais traumatismos cranianos do que os equipamentos de playground.

-Dá mais independência (pela maior mobilidade) – é verdade que o andador confere independência à criança, mas um dos maiores fatores de risco para traumas em crianças é dar independência demais numa fase em que ela ainda não tem a mínima noção de perigo.

-Promove o desenvolvimento (auxiliando no treinamento da marcha)- o andador na verdade atrasa o desenvolvimento psicomotor da criança.

-Estimula mais o exercício físico (também pela maior mobilidade)- o exercício físico é muito prejudicado pelo uso do andador, pois, embora ele confira mais mobilidade e velocidade, a criança precisa despender menos energia com ele do que tentando alcançar o que lhe interessa com seus próprios braços e pernas.

-Deixam os bebês extremamente ativos – um bebê de um ano fica radiante com muito menos do que isso: basta lhe dar atenção, brincar e cantar.

-Deixam os bebês mais fáceis de cuidar – claro, estando no andador à criança dá menos trabalho, não há necessidade de ficar atrás dela e prestar atenção no que está fazendo.

i Todas
 

Vida e Saúde