Vida e Saúde

Alerta: É possível ter barriga negativa?

Atualizado em: 16/05/2015

candiceswanepoel

Recentemente, a modelo Candice Swanepoel publicou no Twitter uma foto em que exibe o que ficou conhecido como barriga negativa. Na imagem, o abdômen de Candice é mais profundo que os ossos do quadril e as costelas.

Às vésperas do verão, algumas mulheres adotaram a barriga negativa como padrão de beleza e meta para dietas e exercícios físicos, mas essa é uma moda preocupante. Para o médico endocrinologista Henrique Suplicy, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, ter um abdômen tão magro a ponto de os ossos do quadril serem mais proeminentes do que a barriga não é saudável.

— A barriga negativa é um outro nome para anorexia nervosa. Para ficar desse jeito, é preciso estar com o Índice de Massa Corporal lá embaixo.

De acordo com Suplicy, a barriga negativa só pode existir em quem já perdeu massa magra, ou seja, músculos.

— Corpo bonito é uma coisa, anorexia é outra completamente diferente. Um IMC de 20 a 25 é normal, ou até 18,5 para pessoas longilíneas. Mas abaixo disso deixa de ser saudável.

Para o endocrinologista Mário Scharf, diretor do Frischmann Aisengart Medicina Diagnóstica, enxergar a barriga negativa como um padrão de beleza é perigoso.

— Acho preocupante esse tipo de situação porque o único jeito de não ter barriga é fazendo Photoshop.

De acordo com Mário, a magreza excessiva que ocasiona o abdômen magérrimo é um transtorno chamado dismorfia, em que o paciente perde a noção da realidade e fica obcecado por padrões inatingíveis. Ela costuma causar anorexia e bulimia.

No entanto, é possível ter uma barriga enxuta e sarada sem chegar ao extremo de deixá-la côncava. Segundo o personal trainer Álvaro Júnior, coordenador da academia Runner – unidade Avenida Paulista, quem tem predisposição genética para desenvolver os “gominhos” de músculos no abdômen consegue deixá-la ainda melhor do que a exibida por Candice Swanepoel.

— Para conquistar uma barriga chapada, é preciso combinar quatro fatores: muito exercício com sobrecarga para o abdômen, exercícios aeróbicos orientados por um profissional, dieta balanceada e consciência corporal para andar com o abdômen sempre contraído.

As mulheres que já são magras podem conquistar os gominhos em três meses de dedicação aos exercícios físicos, mas quem estiver cheinha pode levar um pouco mais de tempo, de acordo com Álvaro.

— Perder peso muito rápido prejudica a saúde.

 

Fonte: Da Redação com R7

Vida e Saúde