Vida e Saúde

Agrotóxicos usados para purificar a água são causa de alergias alimentares

Atualizado em: 03/12/2012

estudo-relacionou-aumento-de-casos-de-al

Agrotóxicos usados para purificar a água podem causar alergias alimentares, de acordo com pesquisadores do American College of Allergy, Asthma and Immunology.

O estudo sugere que entre as causas principais da epidemia de alergia a alimentos estaria uma alta presença de diclorofenóis, substância química usada em agrotóxicos em plantações e para purificar a água distribuída na rede de tratamento. Alergias alimentares já afetam cerca de 15 milhões de americanos.

"Nossa pesquisa mostra que os níveis elevados de agrotóxicos contendo diclorofenóis podem eventualmente enfraquecer a tolerância alimentar em algumas pessoas, causando alergia a certos alimentos. Este químico é encontrado com frequência em agrotóxicos usados por fazendeiros, em produtos para controlar insetos e pragas e na água tratada", afirma a líder da pesquisa Elina Jerschow.

Jerschow e seus colegas examinaram 10.348 participantes de um estudo nacional entre 2005 e 2006. Entre os participantes, eles encontraram altos níveis de diclorofenóis na urina de 2.548 e 2.211 foram incluídos no estudo. Alergia alimentar foi observada em 411 desses participantes, enquanto que 1.016 tinha alergia a elementos do meio ambiente.

"Estudos anteriores mostraram que as alergias alimentares e à poluição ambiental estão aumentando nos Estados Unidos. Os resultados de nossa pesquisa sugerem que estas duas tendências podem estar ligadas, e que o uso crescente de pesticidas e outros produtos químicos está associado a uma maior prevalência de alergias alimentares", observa Jerschow.

A equipe destaca ainda que optar por água engarrafada em vez de água da torneira pode não ser uma solução para reduzir o risco de desenvolver alergia. "Outras fontes de diclorofenóis, como frutas e vegetais tratados com agrotóxicos, podem ter um papel mais representativo na incidência de alergias", afirma Jerschow.

Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDCs), um aumento de 18% no número de casos de alergias foi registrado entre 1997 e 2007. As mais comuns são as intolerâncias a leite, ovos, amendoins, trigo, castanhas, soja, peixe e frutos do mar.

ISaúde

Vida e Saúde