Vida e Saúde

Acne aparece em crianças cada vez mais cedo

Atualizado em: 11/06/2015

acne

Se você acha estranho a sua filha de 9 anos ter sido diagnosticada com acne, saiba que você não está sozinho. O problema, antes considerado coisa de adolescente, está surgindo cada vez mais cedo. Essa impressão foi reforçada por um guia para o tratamento de acne em crianças lançado recentemente  pela Sociedade Americana de Acne e Rosácea. O documento foi aprovado pela Associação Americana de Pediatria, uma das entidades mais importantes da área.

O guia cita uma pesquisa que acompanhou 365 meninas de 9 a 10 anos. Desse grupo, 78% tiveram acne. “Doze anos não é mais considerada a idade mínima para o aparecimento de acne”, afirma o documento. “A acne pré-adolescente (dos 7 aos 12 anos) é comum e pode preceder outros sinais de amadurecimento”, lê-se em outro parágrafo.

Segundo a endocrinologista Rosângela Réa, do Hospital Pequeno Príncipe (PR), aqui no Brasil, os médicos também observam essa tendência. “Os primeiros sinais da puberdade estão aparecendo precocemente e a acne, como manifestação puberal, é cada vez mais frequente na faixa etária dos 7 aos 9 anos”, explica.

A puberdade precoce, no entanto, não é a única explicação para o aparecimento de espinhas. O câncer das adrenais (glândulas que ficam sobre os rins), a Doença de Cushing (que provoca aumento de cortisol ou cortisona) e a hiperplasia adrenal congênita (que causa secreção excessiva de hormônios masculinos), apesar de raros, também podem estar associados à acne. Vale lembrar que o histórico familiar tem um peso grande.

Diagnóstico e tratamento

Caso as espinhas apareçam no seu filho, procure, em primeiro lugar, o pediatra da criança. Épossível que ele peça alguns exames de sangue para avaliar os níveis de hormônio no organismo do seu filho. O objetivo é determinar a causa da acne para prescrever o melhor tratamento.

De maneira geral, segundo Selma Maria Helene, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, o tratamento indicado para as crianças é mais conservador. Se for um grau de espinhas leve, são indicados medicamentos fáceis de encontrar em farmácias, que incluem sabonetes específicos e cremes antiinflamatórios, de uso tópico. O tratamento via oral, com antibióticos ou retinoides, é reservado para os casos graves.

O tratamento precoce é importante por duas razões. A primeira, evitar a piora do problema e o surgimento de marcas na pele da criança. A segunda está relacionada com a vida social do seu filho. Isso porque algumas crianças ficam envergonhadas ou tornam-se alvo de comentários dos colegas por conta da acne.

De acordo com Selma, para iniciar o tratamento, é muito importante que a criança esteja disposta a encará-lo. Lavar o rosto duas vezes por dia e passar o creme indicado requer disciplina. Por isso, se ela não estiver convencida de que aquilo é importante, dificilmente irá seguir a recomendação médica, e aí o problema vai persistir. Uma conversa franca com o seu filho e o seu apoio nesse processo fará toda a diferença, acredite!

Fonte: Crescer

Vida e Saúde