Vida e Saúde

Acesso descontrolado à tecnologia pode gerar problemas de saúde

Atualizado em: 17/02/2014

crianças1

Durante o período de férias escolares é natural um ‘relaxamento’ maior dos pais no controle do tempo que as crianças passam em frente ao computador, vídeo games e smartphones. Mas, o que poderia ser um momento de lazer, pode se tornar prejudicial à saúde e desencadear diversas doenças nas crianças.
De acordo com a pediatra Gracie Ribeiro, do Hapvida Saúde, a relação do público infantil com as tecnologias é necessária, mas é preciso que as crianças sejam orientadas. “Há mais benefícios que malefícios, devido ao acesso à informação, a possibilidade de sociabilizar e a facilidade ao conhecimento, já que tudo está na rede e as crianças podem usufruir disso”, revela.
A médica alerta para que os pais tenham cuidado com o tempo que as crianças passam em frente a esses produtos, pois o descontrole pode gerar o vício e, a partir disso, causar problemas como distúrbios de comportamento, dores de cabeça e até mesmo crises convulsivas. “Esse contato pode ajudar na atividade cerebral, mas o uso excessivo dos aparelhos eletrônicos gera desequilíbrio e prejudica a saúde da criança”.
Tendo em vista a relação do usuário com a internet, uma pesquisa da Norton Cybercrime Report, divulgada no último ano, revelou que o brasileiro passa mais de 30 horas semanais na internet, uma média superior a mundial, que é de 24 horas. Devido a estes e outros aspectos, a pediatra do Hapvida Saúde alerta que esse tempo excessivo gasto na internet pode fazer com que a criança perca o contato interpessoal e se isole da família, dos amigos e da sociedade.
A médica ressalta que a culpa não é das crianças, portanto, é preciso que os pais tenham consciência do seu papel e aprendam a dosar o acesso. “O problema é que os pais não têm domínio nem controle do tempo das crianças e quando há alguma alteração na saúde, eles sofrem as consequências juntos”, afirma.

O tempo ideal

De acordo com a pediatra, as crianças não devem ficar mais de duas horas por dia na internet, sendo este horário dividido por um intervalo de, no mínino, uma hora. O período deve ser respeitado rigorosamente para que elas não desenvolvam problemas e o uso deve ter qualidade, com acesso a materiais que acrescentem conhecimento.
Além disso, os adultos também precisam respeitar o tempo, que varia de quatro a seis horas por dia, com intervalos de uma hora. Mas, nem todas as profissões permitem que esse período seja seguido corretamente, por isso, a médica orienta para que as pessoas sigam, pelo menos, o tempo de descanso recomendado, ou seja, fazer pausas a casa uma hora utilizada em frente ao computador.
Fonte: Assessoria

crianças2crianças3

Vida e Saúde