Vida e Saúde

A dança a serviço da mulher moderna

Atualizado em: 03/05/2012

Atualmente a mulher moderna desempenha diversos papéis: mãe, esposa, profissional, dona de casa, executiva. Diante de tantos compromissos, a procura por atividades recreativas e artísticas tem sido uma forma de ajudar a mulher a ter momentos de descontração, aliviar a tensão do dia a dia e a ter um espaço para si mesma.

A dança tem sido uma opção. O número de mulheres, de executivas a donas de casa, que procuram fazer dança árabe, mais conhecida como dança do ventre, tem crescido a cada dia.

Essa modalidade de dança, que está em ascensão, tem atraído as mulheres por despertar nelas algo tão natural, mas que está se perdendo na correria do dia a dia: a feminilidade.

A dança árabe é uma arte milenar que foi sendo moldada por povos de diferentes culturas e que chega aos dias atuais com uma eficiência moderna, no sentido de trazer inúmeras vantagens para quem a pratica, fruto de seus milhares de anos de desenvolvimento.

Se as mulheres da antiguidade a praticavam em rituais de fertilidade e maternidade, hoje os estudos comprovam seus benefícios: essa dança massageia os órgãos internos proporcionando maior oxigenação e fortalece a musculatura do assoalho pélvico, favorecendo o processo de parto.

Além dos benefícios físicos, a dança árabe traz também os psicológicos: promove autoconhecimento, bem estar e proporciona o descobrimento da beleza natural da mulher, através de movimentos suaves e graciosos. A dança evidencia o quanto a mulher é bela, independentemente de sua forma física ou dos padrões estéticos vigentes.

Nas aulas de dança a mulher entra em contato com três dimensões (ou estereótipos) próprias do ser feminino: a menina, mulher e mãe. No plano psicológico isso equivale a resgatar uma juventude vivida ou antecipar uma maturidade que ainda está por vir.

Embora as vantagens que a dança traz para a mulher serem evidentes há anos, existe algo que diferencia a mulher moderna de suas ancestrais: o tempo da mulher moderna é muito escasso. Muitas relatam que até adorariam fazer aulas, porém os compromissos do dia a dia acabam impedindo-as de praticar as aulas.

Para solucionar essa questão, algumas empresas têm incluído cursos em seus programas de qualidade de vida, contratando professores qualificados para ministrarem aulas. Afinal, também já foi comprovado que funcionário com mente e corpo tranquilos apresenta maior produtividade. Dançar no meio do expediente faz com que as tensões típicas de um ambiente de trabalho sejam liberadas e promove a oxigenação de todo o corpo (incluindo o cérebro), o que proporciona maior energia física e raciocínio mais eficiente.

Além das aulas em empresas, as escolas especializadas em dança também estão entrando em sintonia com a necessidade de otimizar o tempo de suas alunas e, com isso, está surgindo um novo conceito de escola dança.

Se, anteriormente, a escola de dança ficava isolada e era composta apenas por uma sala de aula, recepção, vestiário e com grade de horário fixa, atualmente a tendência é integrar as aulas de dança em um mesmo espaço, no qual ocorram diversas atividades, e oferecer opções de horários mais flexíveis.

Dessa forma, a mulher moderna poderá praticar uma dança que a mulher primitiva já dançava e, no mesmo espaço, realizar atividades que promoverão seu desenvolvimento de forma plena e global, sem precisar gastar tempo.

Por Cristiane Ferreira, Pedagoga e Psicopedagoga (www.cristianeferreira.com)

Vida e Saúde