Vida e Saúde

9 tradições da virada de ano mundo afora

Atualizado em: 31/12/2013

uvas

10, 9, 8, 7, 6… a contagem para o próximo ano já começou e, se você faz o tipo supersticioso, a gente já sabe: sua roupa de baixo (branca, amarela, vermelha…) já está separada, os cachos de uvas comprados, os foguetes a postos, o champanhe escolhido – tudo pronto para pular três ondinhas na hora da virada e começar o ano com o pé direito. O Brasil é um país repleto de tradições na hora das comemorações de fim de ano, é verdade, mas se engana quem pensa que estamos sozinhos nessa. Conheça 9 tradições da virada de ano mundo afora:

1. Panamá
O pessoal do Panamá gosta de brincar com fogo. É tradição da véspera de Ano Novo confeccionar muñecos, bonecos de papel marchê, muitas vezes inspirados em figuras e celebridades (não muito adorados), e queimá-los em fogueiras para dar adeus a tudo aquilo que não querem para o ano que se inicia. E ninguém é poupado: desde políticos como Fidel Castro até personagens de televisão são usados como modelos.

2. Estônia
Para garantir que o ano que se inicia será de abundância, os estonianos mantém uma tradição saborosa: eles tentam fazer entre sete e doze refeições durante o último dia do ano. Quem conseguir a façanha garante um ano bastante farto. Mas ~nada de gula~: é costume deixar um pouco de comida no prato para os espíritos e ancestrais que, acredita-se, visitam a casa na data. Atualmente, a comida muitas vezes é bem acompanhada pelo álcool. Imagine o tamanho da ressaca no outro dia.

3. Filipinas
Nas Filipinas, formas redondas simbolizam prosperidade. Por isso, além de se vestirem com roupas de bolinhas e acessórios com esse formato, os filipinos mantém outra tradição: no dia da virada, eles se reúnem em volta de mesas com frutas e outros alimentos redondinhos. À meia-noite, o ritual: comer exatamente doze frutas, para garantir boa sorte. Por lá é costume também deixar muitas luzes acesas (para garantir um ano novo iluminado) e fazer bastante barulho para espantar espíritos ruins que pairam por aí.

4. Espanha
Foi na Espanha que surgiu o costume de comer uvas no momento da virada. Mas, para os espanhóis, não vale só uma ou duas: a ideia é comer uma dúzia delas. E, um detalhe: isso precisa ser feito de forma rápida, acompanhando as doze badaladas do relógio e garantindo que cada uva simbolize um mês de sorte no ano que se inicia. Os espanhóis também costumam se reunir em praças para comerem juntos as frutas enquanto passam ao redor de garrafas de espumante. Tin-tin!

5. China
Já se perguntou onde surgiu o costume de soltar fogos de artifício na noite da virada? Na China a tradição tem explicação: eles são usados não só para comemorar a chegada de um novo ano, mas também para afastar o mal. Acredita-se que o grande felizardo da noite é a pessoa responsável por soltar o primeiro dos fogos, o que garantiria um ano de muita sorte. Além dos fogos, é costume entre os chineses fazer uma grande faxina na casa nos dias que antecedem o dia da virada, para abrir espaço para o novo, e decorar a casa com objetos vermelhos.

6. Finlândia
Na Finlândia, fazer previsões sobre o ano que se inicia é uma tradição antiga. Por lá, no dia da virada, os finlandeses despejam estanho fundido em um recipiente com água e, em seguida, interpretam o significado do formato do metal. Um coração ou anel pode significar casamento, um navio indica uma viagem, a forma de um porquinho pode ser garantia de abundância de alimentos, e por aí vai. Praticamente um Teste de Rorschach da adivinhação. Ninguém leva a sério demais a previsão metálica, é verdade, mas vale a brincadeira.

7. Escócia
A data é a mesma, mas o nome é outro. Na Escócia, o réveillon chama Hogmanay. E lá eles têm uma tradição: depois da meia noite, a primeira pessoa a pisar (com o pé direito) na casa é responsável por trazer boa fortuna. É costume que o responsável por esse importante passo leve um presente para boa sorte (geralmente, um uísque). Além disso, eles também têm mania de brincar com fogo: durante o festival realizado nas cidades de Stonehaven e Comrie, os cidadãos desfilam enquanto balançam bastões com bolas de fogo ao redor de suas cabeças. A brincadeira tem explicação: as chamas representam o sol e são usadas para purificar o ano que começa.

8. Dinamarca
Os dinamarqueses também tem uma forma bem divertida de se preparar para os desafios do próximo ano. À meia-noite em ponto, você deve estar em cima de uma cadeira. Quando o relógio indicar meia noite, você deve pular o mais alto que conseguir, em um salto literal rumo ao novo ano. A ideia é espantar espíritos e coisas ruins, deixando-os bem longe, no ano que passou.

9. Irlanda
Os bagunceiros desaprovariam o costume, mas, na Irlanda, começar o ano com a casa brilhando é imprescindível – acredita-se que a faxina feita para o dia da virada garante um novo e próspero recomeço com o ano que se inicia. Além disso, os irlandeses mantém uma superstição de Ano Novo: para eles, se a primeira pessoa que visitar as suas casas for uma garota ruiva, isso é sinal de má sorte durante todo o ano. A culpa é da deusa ruiva Macha que, segundo a lenda, amaldiçoou os irlandeses por nove gerações. Já se o visitante for um homem alto e moreno, tudo certo – a visita traria boa sorte a todos.
Fonte:Primeiraedição

Vida e Saúde