Vida e Saúde

8 dicas para conciliar maternidade com estudos ou carreira

Atualizado em: 04/06/2014

gravidez

gravidez1

A rotina de estudos exige muito de uma estudante, assim como a carga horário de uma mulher dentro da empresa. E nesse cenário, quando uma gravidez acontece em meio a um turbilhão de atividades, aparece a dúvida: “e agora, devo largar os estudos e a carreira? Desisto de tudo para cuidar da criança?”. É claro que um recém-nascido exige cuidados redobrados e custos maiores, mas acredite, dá para conciliar, sim, a vida materna com a rotina estudantil e a carreira profissional.

No entanto, um dos momentos mais conflitantes é o de anunciar a gravidez, principalmente para o chefe. Algumas mulheres preferem comunicar depois dos três meses de gestação, quando o risco de aborto espontâneo diminui. Mas em determinados casos é importante comunicar bem no início, em especial para quem realiza atividades de muito esforço físico. Além disso, é bom planejar quando a mulher deseja parar de trabalhar. Uma boa alternativa é abrir o jogo com a equipe de trabalho sobre o melhor momento para não prejudicar ninguém.

“Tudo depende do seu estado geral de saúde. Se a gestação for tranquila e não apresentar problemas, nada impede que a mulher continue trabalhando normalmente. Vale reforçar: avise ao seu chefe. Diga também quando você pretende sair de licença-maternidade para dividir as suas tarefas entre os outros profissionais, se for o caso”, recomenda o ginecologista, obstetra e doutor em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo, Wladimir Taborda.

Para o ginecologista-obstetra Alexandre Faisal, coautor do livro “Segredos de Mulher – Diálogos entre um ginecologista e psicanalista”, é perfeitamente possível conciliar as duas atividades. “Do ponto de vista físico, uma gravidez que evolui bem e sem complicações não representa grandes transtornos na vida da mulher, exceto por alguns sintomas que variam conforme os meses da gestação. Eu diria que 90% das gestantes passam bem”, comenta Faisal.

“O que vale é você manter em dia todos os exames e comunicar ao seu médico sempre que um problema novo aparecer. Ele lhe dará a direção correta. E, com certeza, os estudos são um bom caminho para se seguir”, reforça Alexandre. “Mantenha seu obstetra a par de toda a rotina no trabalho e lembre-se que o importante é manter um clima amigável com a equipe e fazer com que todos abracem sua gravidez com alegria e bom-humor”, observa Wladimir.

Gravidez/estudos: apoio da família é fundamental

gravidez2

‘Nessa hora, o apoio da família é fundamental porque ela é a base que vai proporcionar compreensão, diálogo, segurança, carinho e auxílio, tanto para os jovens envolvidos quanto para a criança. Com apoio do seio familiar, as dificuldades que aparecerem nessa relação gravidez/estudos terão seus riscos diminuídos’, afirma o ginecologista-obstetra Alexandre Faisal.

Gravidez/carreira: gestação não é motivo para faltas

gravidez3

‘Gravidez não é motivo para faltas constantes no trabalho. Então, mantenha seu profissionalismo e, caso precise de alguma folga para exames, avise antes e procure compensar esse dia trabalhando em casa, por exemplo. Se for o caso, peça uma ajudinha para suas amigas do trabalho, até porque você não é nenhuma ‘Mulher Maravilha’ com superpoderes’, recomenda o ginecologista, obstetra e doutor em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo, Wladimir Taborda.

Gravidez/estudos: gestação não é motivo para ‘matar’ aulas

gravidez4

‘Com paciência e persistência é perfeitamente possível cuidar do bebê e dos estudos na escola. Se a gravidez ocorre ainda na adolescência, você, futura mamãe, deve ter bastante cuidado com a alimentação e começar os exames do pré-natal o quanto antes. Em alguns casos, pode acontecer de você faltar devido aos enjoos e mal-estar, mas nada que uma ajudinha dos colegas de classe e professores não resolva. Lembre-se que gravidez não é doença e, se não houver complicações, não há motivos para ‘matar’ aulas’, opina Alexandre.

Gravidez/carreira: cuidado com o esforço no trabalho

gavidez5

 

Se você tem uma carga horária pesada com atividades que requerem esforço físico, é melhor já comunicar aos chefes para flexibilizar ou remanejar certas atividades. ‘O estresse também pode ser algo prejudicial ao bebê. O importante é evitar os excessos sem deixar de lado a produtividade. Lembre-se: gravidez não é impedimento para um trabalho eficiente e tampouco motivo para demissão de emprego’, observa Wladimir Taborda.

Gravidez/estudos: há licença-maternidade para estudantes?

gravidez6

 

A partir do oitavo mês, a mulher tem direito, por lei, a quatro meses de licença-maternidade. É concedido a todas que contribuem para a Previdência Social, seja por meio de empregos com carteira assinada, temporários, trabalhos terceirizados e autônomos, ou ainda trabalhos domésticos.

O valor da licença é igual ao do salário mensal no caso de quem tiver carteira assinada ou exercer trabalho doméstico. ‘Mas as estudantes que não têm salário e que decidam pagar mensalmente o carnê da Previdência Social, podem usufruir da licença depois de pelo menos 10 meses de contribuições. Nesse caso, o valor do salário-maternidade é o do salário referência da contribuição, ou seja, se a pessoa contribui sobre o salário mínimo, recebe na licença um salário mínimo por mês’, explica Alexandre Faisal.

Gravidez/carreira: alongue-se todos os dias

gravidez7

 

‘Pausas e pequenos intervalos ajudam a manter a saúde em dia. Procure se alongar de hora em hora, e dar uma caminhada se você trabalha sentada. No caso de trabalhar em pé, faça o inverso. Se usar bastante o computador, use uma cadeira confortável e que permita um apoio adequado para a coluna e os pés’, recomenda o obstetra Wladimir Taborda.

Gravidez/estudos: trancar ou continuar a faculdade?

gravidez8

‘Muitas grávidas continuam frequentando a universidade sem sérios problemas. Se a gestação é de risco, o cuidado tem de ser dobrado para evitar quaisquer complicações. Há duas opções: ou você pode ir até a secretaria da escola e combinar de fazer as provas e exames em casa, ou trancar a matrícula. Mas nesse meio tempo você pode perder um pouco o ritmo que estava acostumada a ter e, portanto, voltar aos estudos pode dar aquela preguicinha. Algumas escolas e faculdades têm departamentos que atendem alunas grávidas. Veja se há esse suporte disponível’, diz o obstetra Alexandre Faisal.

Gravidez/carreira: dicas úteis para o dia a dia no trabalho

gravidez9

‘Tente ficar em um local de trabalho com banheiro pertinho ou sentar-se perto da porta numa sala de reuniões. Grávidas precisam ir ao banheiro com mais frequência. Além disso, é sempre bom ter por perto alguns lanches saudáveis, como frutas desidratadas ou barras de cereais. Sabe aqueles enjoos frequentes ou indisposições? Mantenha sempre um kit de emergência junto de você – com os medicamentos certos – para não ser pega de surpresa’, recomenda Wladimir.

Fonte:MSN

Vida e Saúde