Vida e Saúde

​Sisos, você sabe quando retirá-los?

Atualizado em: 29/07/2016

dentista11

Você já deve ter ouvido falar nos “dentes do juízo”, eles são os últimos molares que nascem e costumam aparecer entre os 16 e 18 anos. Porém, não é raro que eles fiquem oclusos, ou seja, não apareçam na parte superior da gengiva. Isso acontece pelo fato de todos os outros dentes já estarem alinhados e enraizados, o que não deixa espaço para que os sisos se posicionem, sendo necessária a retirada dos mesmos por meio de um procedimento cirúrgico, como explica a dentista do Hapvida Saúde, Roberta Leal.

“Os sisos chegam tarde e tentam conquistar o seu espaço ao lado dos outros dentes, mas nem sempre isso é possível, causando dor, desconforto e, por vezes, uma série de outros problemas que obrigam a sua extração. Eles são retirados por falta de espaço, erupção anormal, higiene oral insuficiente, alteração do alinhamento dos dentes e maxilares e pericoronarite (inflamação na gengiva)”.

A extração é geralmente recomendada quando há falta de espaço na gengiva para a erupção do dente do siso, quando esse está na posição horizontal, em casos de dor forte ou quando há erupção parcial. É indicado ainda que o procedimento seja realizado antes dos 30 anos, pois, após essa idade, o dente calcifica e é mais difícil retirá-lo. A exodontia só pode ser recomendada por um profissional e a identificação da oclusão acontece por meio de exames requisitados pelo dentista, como o raio-x panorâmico.

A especialista lembra que as complicações da extração podem ser as mesmas de qualquer outra cirurgia, como infecções, problemas com a anestesia e etc, mas também são raras.  A dentista explica que não existem contraindicações para a realização da cirurgia, exceto em casos onde o paciente já tenha outros problemas de saúde, como diabetes, pressão alta, HIV e outros.

Apesar de os sisos serem mais complexos de removerem, por conta da localização, a extração ainda é a melhor opção para evitar maiores danos à saúde bucal. E devido ao avanço cada vez mais acelerado da tecnologia, o especialista consegue realizar o procedimento de forma rápida e segura. O ideal é tirar todas as dúvidas com o seu dentista durante as consultas para, assim, profissional e paciente escolherem juntos o melhor tratamento.

Fonte: Assessoria

Vida e Saúde